Arquivo da categoria: Risottos

Risotto de linguiça defumada e shitake

Ando numa fase em que tudo vira risotto. Assim como sobras viram carreteiro, pedaços de linguiça, cogumelos que não foram usados naquela outra receita e aquele restinho de ervilha congelada se misturam com arroz arbóreo, manteiga e alguma bebida alcoólica resultando na minha, talvez, comfort food preferida dos últimos tempos, da última semana.

Risotto de Linguiça defumada com Shitake
Risotto de Linguiça defumada com Shitake

Foi o que aconteceu com uma “perna” de linguiça que defumada que tinha na casa da Sara. Não era lá uma linguiça Blumenau, mas já era alguma coisa. Juntei um pouco de cogumelos tipo shitake, uma taça de vinho e tava feito o almoço.

E sem delongas vamos aos ingredientes e no modo de fazer deste prato simples, rápido e buenacho.

Ingredientes

Ingredientes do Risotto
Ingredientes do Risotto
  • 300g de linguiça defumada
  • 150g de cogumelo shitake
  • 1 punhado de arroz arbóreo
  • 50g de manteiga
  • 1 taça de vinho branco
  • 1/2 copo de cachaça ou conhaque para flambar (opcional)
  • 1 tablete de caldo de legumes
  • 1 litro de água fervente
  • 1 cebola pequena picada
  • 2 dentes de alho amassados
  • Sal e pimenta a gosto

Como fazer

Frite bem a linguiça
Frite bem a linguiça

Primeiramente você dá uma leve fritada no shitake em uma colher de azeite de oliva, reserve. O mesmo procedimento você faz com a linguiça defumada. Caso queira, pode flambar a linguiça em cachaça ou conhaque adicionando na frigideira a bebida e ateando fogo (muito cuidado!) até que o álcool seja consumido.

PS: eu separei alguns cubinhos de linguiça e fritei mais um pouco até ficarem bem crocantes para adicionar como cobertura na finalização do prato. Recomendo!

Depois em uma panela você coloca mais um pouco de azeite de oliva e refoga a cebola, depois o alho e em seguida o arroz. Feito isso você adiciona o vinho branco e aguarda evaporar bem o álcool. Logo após junte a linguiça.

Mexa o risotto com vigor
Mexa o risotto com vigor

Em paralelo você vai ter o tablete de caldo de legumes já dissolvido no litro de água fervente. Acrescente a primeira concha e deixe cozinhar. Como já é prache no risotto, você deve ficar mexendo com uma colher grande (de plástico ou madeira, de preferência) sempre, e com vigor, para que ele libere o amido.

Nesse momento você pode colocar pimenta a seu gosto. Eu não usei sal porque a linguiça já era salgada o suficiente, ainda mais depois de fritá-la quando o sabor salgado se expande, mas caso você queira, fica a seu critério.

O processo de hidratá-lo quando for secando com uma concha do caldo continua até que o arroz fique al dente, sempre mexendo com vigor. Na última concha você acrescenta o shitake para que ele pegue um pouco do gosto da linguiça.

Risotto de Linguiça Defumada e Shitake: delícia!
Risotto de Linguiça Defumada e Shitake: delícia!

Ao desligar a panela, junte a manteiga e mexa mais um pouco para que ela finalize a cremosidade do risotto. Se você seguiu minha recomendação e fritou um pouco da linguiça bem crocante para cobrir o prato, a hora é agora e está pronto!

Risotto Alla Birra Scura e o Dia da Cerveja Brasileira

Hoje, 5 de junho, é comemorado o Dia da Cerveja Brasileira. A data foi escolhida em homenagem ao Sr. Rupprecht Loeffler, catarinense da cidade de Canoinhas e mestre da Cervejaria Canoinhense, considerada a cervejaria mais antiga do Brasil, fundada em 1908 pelo seu pai.

httpv://youtu.be/oTed0UGIiM0

Idealizado pelo BBC – Blogueiros Brasileiros de Cerveja, a data é uma forma de incentivar a valorização e o consumo da cerveja produzida nestas plagas, cuja produção é de altíssima qualidade e merecedora dos prêmios que arrebanhou mundo afora. Não só os blogs, mas várias cervejarias entraram no mote e aderiram a data promovendo degustação específica nesta terça-feira.

Inspirado pela postagem coletiva do Cozinha em Cena, do Culinarístico e do Fica, vai ter sobremesa! resolvi experimentar uma receita com cerveja. Desta experiência, fiz o Risotto Alla Birra Scura, um risoto com chouriço português, bacon e uma Eisenbahn Dunkel, um dos estandartes nacionais da cerveja artesanal.

A receita original indica o uso do arroz carnaroli, mas quis experimentar o vialone nano, um arroz com grãos um pouco menores e com quantidade maior de amido. Em todo o caso não são tipos de arroz que se encontra em qualquer mercado, então em último caso, o arroz arbório também serve.

O chouriço também não é fácil achar. Uma linguiça portuguesa ou peperoni podem combinar bem, como substitutos.

Ingredientes

Ingredientes do Risotto Alla Birra Scura
Ingredientes do Risotto Alla Birra Scura
  • Azeite
  • 200g de bacon
  • 200g de chouriço
  • 1 cebola roxa
  • 1 dente de alho
  • 1 copo de arroz vialone nano
  • 300ml de cerveja escura (Eisenbahn Dunkel é a sugestão)
  • 50g de queijo parmentino (parmersão também cai bem)
  • 150g de mossarella de búfala
  • Água quente.
Esta receita rende duas boas porções, porém as fotos correspondem a quantidade servida para 4 pessoas que repetiram a dose. Comida aqui é mato.

A Cerveja

A escolha da Eisenbahn Dunkel foi do Guilherme Schwinn, Sommelier de Cervejas, que me deu uma boa assessoria nesta receita, principalmente na escolha do tipo da cerveja. É um dos rótulos da cervejaria blumenauense, do tipo Lager, de baixa fermentação, traz na receita cinco tipos de maltes importados, de cor escura, com aroma de torrefação e na boca lembra o café. A gradação alcoólica é de 4,8%.

Como fazer

Frite bem o bacon no azeite. Caso acumule muita gordura (vai depender do tipo do bacon), reserve o bacon e remova o excesso. Depois junte ao bacon o chouriço em rodelas ou cubos finos e dê outra boa fritada. Acrescente a cebola roxa e o alho e refogue-os.

Em seguida acrescente o arroz para refogar. Quando ele começar a ficar mais transparente e começar a soltar amido, o normal de qualquer risotto, então coloque metade da cerveja e outro tanto de água até cobrir os demais ingredientes. Agora começa o processo de cocção do arroz onde você vai acrescentando a cerveja até acabar e água aos poucos, o bastante pra cozinhar todo o arroz. Como em qualquer risoto, é necessário mexer o conteúdo sempre.

Colocando a Eisenbahn Dunkel após refogar o arroz
Colocando a Eisenbahn Dunkel após refogar o arroz

Já cozido o arroz, acrescente os queijos e um algumas folhas de coentro. continue mexendo até que o queijo incorpore no risoto e está pronto.

Risoto de cerveja escura: servidos?
Risoto de cerveja escura: servidos?

PS: nesta receita eu usei queijo minas frescal, pois o Imperatriz Gourmet, supermercado dedicado à boa mesa de Florianópolis tem oito trilhões de variedades de queijo mas não tem uma simples mussarela de búfala.

Risotto de Shitake e Gorgonzola

Eu nunca havia cozinhado com arroz arbóreo. Shame on me, eu sei, apesar de não ser como fazemos com arroz normal, deixar no fogo e ir assistir o jogo de futebol, não é um bicho de sete cabeças. Claro que para os mais perfeccionistas, acertar o ponto certo do risotto é uma tarefa de pura concetração e feeling.

Manteiga SanCor: uma das pessoas que vendem tabletes de 100g, sem desperdícios
Manteiga SanCor: uma das pessoas que vendem tabletes de 100g, sem desperdícios

De qualquer forma, o fato é este: eu nunca havia feito. Até agora. Faz meia hora que comi um risotto de shitake, o qual transcreverei a receita que aprendi nos próximos parágrafos, e flertei com a delícia que é esse arroz.

O arroz arbóreo é indicado para risotos pois possui bastante amido e, mesmo depois de um período maior de cozimento, continua firme por dentro. Além disso, juntamente com o arroz selvagem, é o mais magro dos tipos, com 15 calorias por porção de 10g.

Sem mais delongas, vamos aos fatos!

Ingredientes

Corte o shitake em fatias não muito pequenas
Corte o shitake em fatias não muito pequenas
  • 1 cebola pequena
  • 2 xícaras de arroz arbóreo
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 copo de vinho branco
  • 2 tabletes de caldo de galinha
  • 1/2 xícara de queijo gorgonzola
  • 1/2 copo de creme de leite (fresco, se possível)
  • 200g de cogumelo tipo shitake

Como fazer

 

Numa panela, aqueça 1 litro de água. Dissolva nessa água os doi tabletes de caldo de carne e não desligue, mantenha o fogo baixo ligado.

Dica importante: mexer sempre.
Dica importante: mexer sempre.

Em outra, dê uma leve refogada no shitake com um pouco da cebola e uma colher de manteiga.

Na terceira e última panela, refogue então o restante da cebola nas duas colheres de manteiga, junto com o arroz. Uma rápida e leve fritada e coloque o copo de vinho branco.

Agora começa a parte mais trabalhosa, vá acrescentando o caldo com uma concha na panela principal, mexendo sempre. Repito: mexendo SEMPRE, o arroz grudará fácil se não fizer. Quando ele esboçar que vai secar, coloque mais uma concha e assim por diante. Repita o processo até que o arroz perca aquela cor branca mais forte e for soltando bastante amido, vá experimentando. O ponto que eu fiz foi um pouco depois do famoso “al dente”.

Acrescentando o shitake ao risoto

Chegando nesse ponto, adicione o queijo e o shitake. Misture bem. Coloque o creme de leite, mais umas boas mexidas e voilá!

Hora do sacrifício!
Hora do sacrifício!

Corrija o sal e sirva quente.

PS: algumas receitas que consultei recomendam também o queijo parmessão ralado na hora, algo como duas colheres. Esteja a gosto!