Churrascaria Ataliba: promoção somente para heterossexuais

Quem leu ontem o Blog do Cacau, jornalista e colunista do jornal Diário Catarinense e Jornal do Almoço, do Grupo RBS, viu que a polêmica instalou-se naquele espaço digital. A postagem trata de uma constatação acerca de uma churrascaria já famosa na cidade e sua promoção que dura, segundo o site, o ano todo, mas que agora teve bastante divulgação por conta do Dia Dos Namorados. A promoção chama-se “Ele paga, ela não”. O rebú começa quando um leitor da coluna e cliente da churrascaria ligou perguntando se casais homossexuais poderiam aproveitar a promoção, visto que nominalmente ela restringe seus benesses apenas a casais heterossexuais (ele e ela). A resposta, grifo e palavras da coluna:

“A PROMOÇÃO SÓ É VÁLIDA PARA CASAIS HETEROS SEXUAIS e que casais gays não podem participar da promoção.”

Cacau fecha a postagem com o seguinte parágrafo:

“Isso só prova que nem todos os empresários e proprietários de estabelecimentos comerciais da “Ilha da Magia”, estão atualizados ou até mesmo preparados para ganhar dinheiro.Pois saibam que o público LGBT é hoje o público que mais gasta com comida, vestuário, viagens e outros segmentos.
Vergonhoso para uma cidade que é considerada a Gay Friend do Brasil.”

Hoje pela manhã comecei a pesquisar pra descobrir o nome da churrascaria, e não foi difícil visto que a promoção está numa chamada de capa do seu site.

Captura de Tela 2014-06-12 às 10.11.22

Para ter certeza, liguei hoje na Churrascaria Ataliba e confirmei a questão, onde quem atende deixa claro que casais homem x homem não podem participar. A gravação você pode ouvir abaixo (cuidado com o volume, eu precisei aumentá-lo para que fosse possível ouvir a outra parte).

Os pilares destas promoções onde a cliente do sexo feminino paga menos que o cliente homem têm seus alicerces na teoria de que mulheres comem menos do que homens ou, em alguns casos, ganham menos do que homens. E como o sistema da casa é rodízio, ou seja, paga-se um valor fixo e come-se a vontade todos os itens do cardápio, este desconto ainda seria, teoricamente, vantajoso para a casa e pro cliente.

Ora, se um casal homossexual tenta participar desta promoção, principalmente se o casal for composto por dois homens, então não haveria vantagem para a casa. A promoção não é homofóbica por pura discriminação (talvez não seja uma tentativa da casa coibir que casais homossexuais a frequentem), mas torna-se homofóbica por consequência e que, nos dias de hoje, dá no mesmo. É uma questão semântica que discrimina de igual forma e que concorda com o colunista de que é um atraso para uma cidade dita “gay friendly”.

Além de homofóbica a promoção reforça o discurso machista de que mulher come menos que homem, ou deveria fazê-lo, ou ainda que ganha menos que o outro, ou deveria ganhá-lo. Nestas andanças que tenho feito por restaurantes não é o que tenho visto, começa no meu círculo de amigos, as “boca de rancho”, como dizia o manezinho antigo pra quem não rejeita uma pratada de comida bem rechonchuda, estão em alta e no seu pleno direito de exercer este papel. Mas este talvez seja um assunto para outro post, e já deixo o espaço liberado para quem quiser fazê-lo.

Por fim, resta dizer que se você for homossexual e quiser levar seu namorado ou namorada para jantar na Churrascaria Ataliba não receberá as mesmas vantagens que casais heterossexuais.

A Churrascaria Ataliba ainda não se pronunciou oficialmente em nenhum dos seus canais, e tem total liberdade de exercer sua resposta aqui no blog caso tenha esta vontade manifesta através de nossos contato.

34 ideias sobre “Churrascaria Ataliba: promoção somente para heterossexuais”

  1. Comideria.com… Um site muito vem conceituado, e sempre trazendo novidades na gastronomia da região. Uma gravação onde um funcionário do restaurante atende e a pessoa que liga não pede para conversar com o responsável do estabelecimento para esclarecer essa dúvida. Em todos os anuncios que eu vi da casa está muito bem escrito. ELE PAGA, ELA NÃO isso informa que se eu for com a minha mãe, a promoção é válida, em nenhum momento cita a palavra casal. Vamos primeiro esclarecer antes de divulgar qualquer notícia.

    Obrigado.

    Rafael

    1. Oi Rafael, boa tarde! Primeiramente obrigado pela sua visita e pelo “bem conceituado”, fico bastante envaidecido com o mérito. Espero sempre poder levar esse lema, trazendo para os nossos leitores coisas boas. Sobre a ligação, parto do pressuposto de que quem atende seja pessoalmente ou no telefone já é um porta-voz do estabelecimento, então já deveria ser treinado pra lidar com isso. Paciência se não foi, ao cliente não deve ser imputado o ônus de ficar correndo atrás de alguém que conheça de fato o restaurante para dar informações. Por isso pra mim foi suficiente esta conversa. Mas entendo e respeito sua opinião, seja sempre bem vindo! Um abraço!

  2. A resposta ja ta no facebook do Ataliba.
    Outra coisa a promoção é ELE paga, ELA não. Não é CASAL HOMEM PAGA.
    Porque tu não entrou em contato com eles antes de publicar? Ai depois fala merda da sociedade e tudo mais… Mas tu publica tua opinião antes.
    Enfim cara, ta la.
    Pode ir pai e filha, amigo e amiga, desconhecido e desconhecido… Não associa casais… E tais errado igualmente… Se tiver filho e mãe la comendo e tu ver que o filho pagou, vais sair divulgando no teu blog e nas midias incesto? Se ver filha e pai, vais divulgar que o pai ta pegando a filha?
    Problema da internet hoje mesmo é o cara achar que é o dono da verdade. Ainda mais vindo do Cacau… Enfim cara.
    Ponto negativo hein….

    1. Oi Daniel, como vai? Entrei em contato sim, tem uma gravação ali mostrando que eu entrei em contato. Ou será que alguém correu lá e se apossou do telefone para sabotá-los? Pode ser, nunca se sabe né?

      Eu li a resposta, ficou muito boa, principalmente a parte em que ele fala que um casal homossexual considerou falta de respeito demonstrar um beijo na frente de um patriarca de 90 anos. Me tocou profundamente, afinal os gays precisam mesmo se esconder da sociedade e manter a moral ilibada, não é mesmo? Só que não.

    2. Aliás, esse papo de “pai e filha”, “mãe e filho”, vamos falar sério, né? A imagem da promoção deixa bem claro que trata-se de um casal num clima romântico. Desculpinha esfarrapada essa.

      1. A imagem foi sugestão minha, na hora de cadastrar a promoção, não foi pedido a mim em nenhum momento um casal em clima romântico caro Daniel, mas vou entrar em contato com o Ataliba para providenciar uma nova imagem, caso eles aprovem vou alterar.

        Não quero ir contra sua opinião, somente estou falando o que realmente aconteceu.

  3. Dá para compreender muito bem do que se trata… aos que não conseguem entender que há sim preconceito na promoção, tenho certeza que são pessoas que compactuam com isso… ou são muito burros. Bela matéria Daniel!

  4. Daniel Becher. Concordo que quem atende e repassa as informações deveria estar em instruido, mas como já sabiam do ocorrido poderia ter solicitado para conversar com o responsável e não colocar mais lenha na fogueira como foi feito. Concordo com o Daniel, ponto negativo, mas não será isso que irá fazer eu não acessar mais o site. Eu vou continuar a acompanhar as novidades.

    Obrigado.

  5. Burros? Fica a pergunta para quem
    Perguntou, no caso você Ellen. Por um acaso você já viu o anúncio da promoção? Bem provável que não. Concordo que o funcionário que passou a informação foi totalmente equivocado e não soube explicar, mas como já foi citado acima, em nenhum momento a palavra “casal” foi citada durante toda a campanha da promoção, que já dura a muito tempo.

  6. Daniel Becher, certinho?

    Lendo oq ue foi descrito acima e tudo mais, concordo que a ideia da promoção foi feita para casais heterossexuais. Nãoa penas descriminando casais homossexuais, mas também dá a impressão antiga onde “quem traz o dinheiro é o homem, a mulher vai comer menos e é a acompanhante”.

    O dito de outos que “a promoção é ELE paga, ELA não, não se refere a casais e blablabla” peca, em minha opinião, em visualisar a imagem como um todo (como você disse: eu vendo a imagem pensei em um casal), para mim, usam a iamgem de um casal pra chamar atenção de casais mesmo, mas são homofóbicos nas regras da casa. oras pela lógica posso chamar minha mãe, vamos ela e eu e pagaremos menos (estou nas regras, não?)

    Agora me pergunto: Se chegar na hora do caixa e a mulher falar “Você pagou da ultima vez, essa deixa que eu pago”, a promoção continua?

  7. Daniel, ainda bem que temos gente ainda preocupada em debater esses assuntos. Pra quem insiste em dizer que a promoção não é associada a casais, não devem ter visto ainda o outdoor do Ataliba na cidade que incita claramente o dia dos namorados. O fato é que a população vive um preconceito velado. Dizem nas rodas de amigos que não são preconceituosos, mas na primeira oportunidade querem os gays bem longe. Então se dizem tanto que “ELA” não paga, vou com minha companheira, e só pagamos a bebida… Afinal somos um casal de “ELAS”. Progride sociedade, progride. Amar alguém não pode ser errado não. Errado é discriminar quem ama. Independente da forma.

    1. Pois é, Carol. É o famoso “Não tenho nada contra, tenho até um amigo que é”. Mas se você quiser levar sua companheira, também não poderá, sabe por que? Deu hoje no Hora de Santa Catarina, vi na versão online e não sei se tem na impressa, escrito pela Laine Valgas:
      “Pedi então a uma amiga que ligasse, dizendo que levaria a namorada. Aí complicou pro atendente, coitado! “Nesse caso, a gerência vai ter que estudar uma saída”, disse. Estão estudando até agora!”
      Fonte: http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2014/06/laine-valgas-restaurante-recusa-reservas-de-casais-gays-em-florianopolis-4524109.html
      E agora, José? Explica como?

  8. Essa churrascaria aceita duas mulheres como casal..então não é questão homofobica…questão de lucro mesmo. ..nada a ver tem mulher que come mais que dois homens juntos…Kkkkkkk

    1. Tem certeza, Michella? Eu acho que não, veja: http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2014/06/laine-valgas-restaurante-recusa-reservas-de-casais-gays-em-florianopolis-4524109.html

      “Pedi então a uma amiga que ligasse, dizendo que levaria a namorada. Aí complicou pro atendente, coitado! “Nesse caso, a gerência vai ter que estudar uma saída”, disse. Estão estudando até agora!” (Laine Valgas, no Hora de SC, link acima)

  9. Pessoal,
    Quanto auê por nada… A churrascaria só faz essa “promoção” (se é o ano todo deveria ser chamada de promoção?) porque acredita que ganhará dinheiro! A casa considera que na maior parte dos casais a mulher come menos (em alguns casos o homem)…. De qualquer forma um comerá menos que o outro e o estabelecimento garantirá o seu lucro!
    Vivemos numa sociedade capitalista, pois hipócrita e machista sempre foi!

    1. Oi Marcela! Note que o cerne da minha questão foi sobre eu ter achado a promoção homofóbica, o machismo foi um argumento secundário, mas ainda válido como você pode notar. E o fato de vivermos numa sociedade capitalista não necessariamente dá o direito de alguém ter preconceito com outras pessoas. Eu acredito, do fundo do coração, que ainda que tenha sido sempre assim, uma hora não será mais, por isso fiz o post e comentei.

  10. Eu achei a matéria exagerada. Também não vejo como ofensiva a promoção, visto que, eu que sou hetero, poderia por exemplo, ir com um amigo e dizer que somos um casal. Seria uma maneira de barrar ” espertinhos acredito eu. Mesmo se não fosse, ja vi muitas propagandas de bares gays promovendo anúncios do tipo ” casal gay ganha drinks ” enfim…
    Não vejo isso como preconceito, na minha opinião, preconceito é ” gays nao podem entrar ” ” não atendemos gays ” ou coisas do tipo! Acredito que o empresário estava evitando espertinhos!!!

    1. Na verdade não, Leandro. Na resposta pública que o porta-voz do restaurante fez na fanpage do Facebook ele mesmo fala sobre a possibilidade de levar “mãe, amiga, irmã”, certamente não era pra evitar alguém que não fosse, de fato, um cônjuge.

    2. Cara, você sequer pensou por dois segundos na sua justificativa furada? Pela sua lógica ilógica de que é pra evitar ~espertinhos então eu que tô solteiro vou com uma amiga e a gente racha a “minha” parte na surdina.

  11. Morno em outro Estado e, portanto, não sou cliente da referida churrascaria; más, assino o blog e acompanho todas as matérias. Ao tratarmos de respeito e liberdade de expressão, deveríamos respeitar à todos – inclusive à promoção. Garanto não me sentir ofendido se ao passar por algum estabelecimento e ver: “promoção exclusiva para homossexuais”. E daí?! Tenho certeza de que há espaço para todos e, temos que parar de perder tempo em polemizar o óbvio: “sempre haverão os que aceitam e não aceitam as diferenças”. O remédio: respeito! Parece-me que o dito popular: “o mal está nos olhos de quem vê”, está empírico na questão. Por fim, “sorte de quem irá aproveitar a promoção sem perder tempo com a discussão” – epa! Criei sem querer mais um ditado! kkkkkk…..

    1. Oi Ricardo, fico feliz que mesmo sendo de outro estado tu acompanhes o nosso blog. Muito obrigado, espero que algum dia traga uma dica que sirva pra ti também 🙂

      Sobre as diferenças eu acho que a liberdade de expressão não pode nunca sobrepor a individualidade e o direito de cada um. A partir do momento que envolve discriminação, segregação ou qualquer outra atitude miserável destas relacionada, a liberdade de expressão passa a ser puro preconceito. Ainda na minha opinião, evidentemente, acho que tratar isso como liberdade de expressão é bastante perigoso, porque hoje afeta valores de diferenças, daqui há pouco pode ir contra a um direito teu e assim vai.

  12. De boa, tenho lido a respeito disso e resolvi me manifestar, na época em que eu morava em Floripa e quando tinha essa promoção, eu sempre frequentava o Ataliba e sempre tivemos consciência que era 1 homem e uma mulher, independente de ser casal ou não. Eu desde o início NÃO achei preconceito por parte da empresa, mas sim um pouco de auto preconceito por parte de algumas pessoas. A gente que tem negócios sabemos o que passamos por causa dessas coisas. Outro problema é que o brasileiro sempre tenta tirar vantagem em tudo. Pronto, falei!

  13. Apenas um esclarecimento pois estou recebendo alguns comentários ofensivos, seja concordando comigo mas ofendendo alguma parte, seja discordando de mim e fazendo o mesmo; também estou recebendo comentários sem o nome do autor. Conforme avisamos lá na aba Sobre do blog:

    “Não aceitamos comentários anônimos. Seja elogio ou crítica, se você não se identificar nós reprovaremos o comentário. Isso também acontecerá com ofensas, perjúrio, calúnia ou falso testemunho.”

    A minha intenção com este blog é passar as experiências gastronômicas que tenho, e algumas vezes abrir espaço para algo que não seja tão off-topic. Minha intenção aqui não é promover debate algum a não ser informar minhas experiências ou outros assuntos que eu, ou qualquer outro autor do blog, achar conveniente. Ainda assim, aceito todos os comentários que não ofendam alguém, não coloque em xeque a idoneidade de qualquer um que aqui se manifeste e que sejam assinados por alguém que, assim como eu, se identifique e não se esconda atrás de apelidos de Internet.

  14. Não é só a foto. Tá lá no screenshot da promoção: “o casal paga apenas uma refeição”.

    Eles mudaram o texto na página agora, mas é ridículo argumentar que não falaram em casal.

  15. Como assim a promoção não cita “casal”? Está no primeiro parágrafo: “o casal paga somente uma refeição”.

    E seja questão de negócios ou homofobia, trata-se de um estabelecimento imbecil!
    Você lucra mais nos casais héteros pela mítica mulher passarinho? Ok, mas no casal gay a casa certamente ainda lucrará, ainda que em margens menores. Isso sem pensar nas bebidas, visto que se homem come mais (indo pela ideia deles), também bebe mais, onde a casa lucra MESMO.
    E casais lésbicos então deveriam ser recebidos com tapete vermelho e festa, afinal, seriam dois “passarinhos”… mas não é o caso. Proibem do mesmo modo.

    Prejuízo financeiro e institucional. MESMO que casais homossexuais comessem o dobro, ainda não compensaria a péssima exposição ao praticamente baní-los da casa.
    Se o dono quer ser homofóbico em seu âmbito privado, que seja e vá tomar onde mandaram a Dilma. Mas CNPJ homofóbico é inadmissível e lamentável!

  16. Agora eles mudaram o texto de uma forma tão corrida que ficou feio rs

    “A tradicional promoção “Ele paga, Ela não”, está de volta, no Ataliba de Florianópolis (Rodovia José Carlos Daux, 3008, SC 401 – Bairro Saco Grande – Florianópolis/SC). Até Novembro, nos jantares de segundas, quartas e quintas-feiras, cada mulher, acompanhada por um homem, terá sua refeição como cortesia. As bebidas não estão incluídas nesta promoção, sendo cobradas a parte, conforme o consumo.”

  17. Como muito choro por pouco leite, Lucas? Estamos em 2014 e segregação, preconceito e discriminação são sentimentos repulsivos.

    Olhem: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/06/1471663-restaurante-e-multado-por-negar-promocao-a-casal-homossexual-em-al.shtml

    O juiz Tenório Accioly informou na sentença que o Advogado do restaurante tinha esquecido de juntar ao processo comprovação científica que mulher consome menos que homem.

    Sei dessa promoção há tempos e desde o primeiro dia penso: “que pena, se eu quiser ir com minha mãe já não dá…”

    Daniel, pra mim esse blog soma só pontos positivos, ainda mais que sua observação me lembra a música do Titãs “Comida”.

    Não basta encher a barriga, parar de pensar jamais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *