Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial: como sua dieta influencia a PA

Eu sou hipertenso. Há quase três anos fiz uma bateria de exames e o meu cardiologista diagnosticava isso e não dá nem pra dizer que eu “estou” hipertenso, eu sou e muito provavelmente morrerei hipertenso. E há uma grande chance de eu morrer por causa ou influência da hipertensão severa.

Receber essa informação aos 25 anos não é legal. Pesando uns bons quilos e sendo um fumante contumaz eu esperava que fosse me deparar com isso somente na velhice, mas achei que até os 40 eu correria feliz e saltitante pelas coxilhas do meu rincão churrasqueando e festando sem limites.

Campanha Eu sou 12 por 8
Campanha Eu sou 12 por 8

Hoje, 26 de abril, é o Dia do Combate e Prevenção da Hipertensão Arterial no Brasil. Informações dão conta de que 1/3 da população adulta é ou está hipertensa. E a grande e esmagadora maioria não sabe ou ignora a doença. E aí foi o segundo baque que tive aos 27: ignorar a hipertensão é como ficar de costas pra um leão baio que não come há 10 dias. Sem estar levando o tratamento a sério e numa crise de stress, estava eu no Núcleo de Saúde da Unimed plugado em alguns aparelhos tomando Captopril embaixo da língua com 20×11 de PA.

Obesidade, stress, tabagismo, sedentarismo, consumo irrestrito e abusivo de sal e uma genética favorável são os principais fatores que levam alguém à hipertensão arterial. E tirando os fatores genéticos, todos estes ítens têm de alguma forma ligação com a sua alimentação. E por isso resolvi escrever este post no Comideria que, apesar de não ser um blog de saúde, pode ajudar alguém que está lendo até aqui e sentindo dor de cabeça, a visão embaçada, palpitações ou outros sintomas característicos.

Então a primeira dica que trago é: independente se tem sintomas ou não, procure seu cardiologista e faça exames de rotina. Controle sempre.

Preparando alimentos para hipertensos

O primeira dica já é conhecida dos cardíacos: diminuir ao máximo o uso de sal. Estima-se que o consumo médio diário cloreto de sódio do brasileiro é de 12g por dia, o que é nada menos que o DOBRO do indicado, 6g (equivalente a 2,4g de sódio). Muita gente acha que consome pouco sal, erroneamente. A comida brasileira usa o sal como tempero base de todos os pratos. Assim como a quantidade de sódio é elevada em molhos de tomate, comidas congeladas, fast-food, produtos industrializados enlatados ou outro tipo de conserva etc.

Se você é hipertenso, teve palpitações ao ver esta foto
Se você é hipertenso teve palpitações ao ver esta foto

Pra driblar isso, é importante:

  • Não só comer bastante legumes e hortaliças, para a ingestão de potássio, como temperá-las com azeites.
  • Diminuir a quantidade de sal como realçador nos seus pratos não quer dizer que você precise perder sabor. Não só o limão mas ervas como coentro, manjericão, orégano, hortelã e alecrim e especiarias como o cominho e noz moscada fazem essa redução do sal ser menos perceptível. E acredite: você vai aprender a cozinhar melhor e descobrirá novos sabores.
  • Colocar cereais no cardápio
  • Diminuir o consumo de carne vermelha, usando mais o peixe e o frango na dieta
  • Acostumar-se a beber água (se ainda não desenvolveu o hábito)
  • Preferir óleos vegetais como o de oliva, girassol e o de milho
  • Consumir laticínios mais adequados como o leite desnatado, os queijos minas e o cottage e a manteiga sem sal.

Existem outros alimentos que são totalmente desaconselhados ou que devem ser consumidos bem moderadamente, como:

  • Café, chás, chimarrão, refrigerantes
  • Embutidos como salsicha, salame e linguiça
  • Enlatados e conservas como sardinha, azeitonas, pepino, ovo de codorna etc
  • Molhos como ketchup, maionese e shoyu
  • Quanto menos gordura, melhor
  • No caso do shoyu, se sua dieta não for tão restritiva, e você goste muito dos sushis, assim como eu, recomendo pedir o shoyu light, com uma adição bem menor de sódio.

De qualquer forma, é extremamente necessário você consultar um cardiologista. Feito o diagnóstico, um nutricionista também pra acompanhar sua dieta. Nem toda hipertensão arterial é igual, nem todo ser humano é igual.

PS: o blog Aventuras Gastronômicas também postou sobre o assunto. Se você for falar de #hipertensao, mande-nos o link nos comentários para linkarmos no post 😉

Créditos das imagens

7 ideias sobre “Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial: como sua dieta influencia a PA”

    1. Oi Barbs,

      não sei te dizer exatamente o porque, mas os dois cardiologistas que passei pediram pra evitar/diminuir e no Google uma rápida pesquisa te mostra que vários artigos endossam isso. Imagino que pelo fato de ele ser estimulante, mas não sei precisar. De qualquer forma, vi outros que falam de pesquisas que isso virou lenda. De qualquer forma eu continuo seguindo o que ouvi dos meus médicos.

      1. Quanto ao café e ao chimarrão, também imaginei que fosse por serem estimulantes. Mas em relação aos chás, será que não depende do tipo de chá? Porque é importante consumir bastante água, e o chá ajudaria nesse sentido. Também já ouvi de um médico que hipertensos precisam consumir diuréticos. Será que, além dos medicamentos, os chás diuréticos não entrariam nessa conta?

        1. A classe médica costuma generalizar. Sou médica, entendo a dúvida e posso responder: Barbsm têm razão quanto à proibição de apenas alguns tipo s de chás. Eu digo o seguinte aos pacientes: estão proibidos os chás preto e verde e TODO chá considerado emagrecedor, pois eles são estimulantes. Carqueja, por exemplo, apesar de diurético, é estimulante, logo, está cortado. Chá de erva-doce, amora, melissa e outros considerados relaxantes estão liberados. Mas cuidado: chá também é remédio! Também dá efeito colateral e também tem dose tóxica! Evite tomar mais de duas xícaras grandes de qualquer chá por dia.
          Beijos, parabéns pelo Post e desculpe ter demorado tanto para lê-lo, Becher.

  1. Olá Daniel
    Parabéns pelo artigo descontraido/bem humorado e altamente informativo. Tenho 30 anos e ultimamente tenho tido alguns probleminhas com pressão alta…
    Forte abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *