Kitkat is back

O ano é 1994. Muitas coisas diferentes aconteceram. O Brasil vinha de uma ferida política causada por corrupção, impeachment de Collor, inflação batendo na estratosfera, Itamar Franco cria o plano Real e relança o Fusca, perdemos um herói do automobilismo mas ganhamos uma copa mundial de futebol, Lula perdeu mais uma eleição, a Internet começa a operar comercialmente e… perdemos o Kitkat. O chocolate que não é chocolate deixa de ser comercializado pela Nestlé em terras tupiniquins.

De lá pra cá perdemos o Milkbar, o Lolo, mas ninguém se importa, o Kitkat fez mais falta. Chego a achar que Ayrton Senna faz menos falta que a bolachinha coberta com o delicioso chocolate Nestlé é mais importante. Concluo isso porque numa população onde 90% diz acreditar em algum deus cristão que prega a reencarnação ou ressurreição, ninguém pediu o Senna de volta. Mas todos os dias vejo alguma viúva do Kitkat chorando as pitangas.

httpv://www.youtube.com/watch?v=OxuRgbTVSx4

Neste ínterim algumas lojas de produtos importados trocavam rins humanos por um exemplar do biscoitolate, o que em reais chegava até estuprantes 15 reais. Enquanto pessoas normais comiam Bis e Sem Parar no piscinão de Ramos, a classe média-alta se esbaldava comendo Kitkats e tomando bons drink nas suas piscinas privadas. E ainda dizem que a classe média vai mal. Se isso é tá mal, PORRAN!

E a Nestlé num ato de total solidariedade ao luto que já perdurava 16 intermináveis anos decidiu dar cabo dessa longa e maldita espera. A rede Walmart e um tal de Sam’s Club que eu nunca vi mais gordo vão recolocar o produto nas suas prateleiras.  Importado da Alemanha deve ser vendido por módicos 2,5 dilmas. A empresa até estuda voltar a fabricá-lo no Brasil. Há quem diga que prefira que continue sendo importado, pois já temos péssimos exemplos de produtos que eram muito bons quando importados e, após serem fabricados aqui tornaram-se irrelevantes, né Stella Artois?

Agora, no Twitter, podemos mudar de assunto. O frio tá aí.

Uma ideia sobre “Kitkat is back”

  1. Agora eu quero os sabores aleatórios iguais ao do Japão! Shoyu, wasabi, melancia! hahahah Sério que chegou a casa dos 15 dinheiros? Rapaz… hahahah

    Ah, Sam’s Club é operado pelo Walmart também, por isso que lá também vai ter.

    p.s.: no campo email falta um “o” no “não será publicad” 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *