Otimizando sua ida a Churrascaria – Parte IV

Isso eu como em casa – Carnes bovinas

Outro subtítulo que define, para quem domina a arte de churrasquear otimizada, o restante do post. Mas é um tutorial, pressuponho que você o lê para aprender, então partilho os conhecimentos necessários para que na hora H, aquele momento em que o garçom vem todo prosa exibindo o espeto como um troféu de funcionário do mês (dependendo a carne que ele foi incumbido de servir) e chega até você.

Você tem duas opções: aceitar ou não. Por apenas uma, tão somente uma palavra proferida de sua boca você vai pegar um pedaço daquela carne ou não. E este é o momento gracioso do rodízio, pois você tem a palavra final. Você é o juíz. Você não tem mais 10 anos de idade onde sua mãe define o que você vai por boca adentro. Você está frente à frente com o metre, e ele quer saber se você quer ou não. E você precisa tomar decisões corretas. Um passo em falso e você come uma carne que não lhe apraz o paladar, enche seu estômago de algo efêmero e lá se foi o rodízio. Seja diligente. É agora. A bola está na marca do pênalti.

Picanha

Grandes merdas se a picanha custa caro. Grandes merdas se a picanha é uma carne nobre. Grandes merdas se todos a sua volta estão esperando por ela. E grandes merdas se o garçom que é responsável por este corte se acha a última Trakinas do pacote por isso. Você não vai comer o primeiro pedaço de picanha oferecido. Você está pagando por este rodízio e vai comer a picanha na hora que quiser, porque você não se rende ao luxo dos parvos, você pode muito bem esperar. A picanha é saborosa? Ô, se é! Mas existem carnes tão boas – e, na minha modesta opinião, melhores que ela. Mostre que você tem fibra e leu o “Otimizando sua ida a Churrascaria” e conhece de rodízios. Coma ela na segunda ou terceira vez que o garçom passar.

Comer a famigerada picanha na primeira passada do servidor é coisa de pobre. Pobres fazem isso. Presumo que você tenha entendido, mesmo que subjetivamente, que ir à uma churrascaria barata não é um bom negócio. Deixe a picanha pra depois. E coma uma deliciosa…

Costela

Este sim é o manjar dos deuses. Poucos conhecem o segredo, já diria Rhonda Byrne. Mas você está prestes a conhecê-lo. Assim como a Lei da Atração não era conhecida até hoje – ou pelo menos até a autora ter decidido encher o rabo de grana -, este também não. Poucos sabem apreciar um bom churrasco. Poucos gostam de costela. A costela é um corte que necessita perícia para se assar. Ela deve ficar por horas e horas no fogo curtindo aquela brasa e a fumaça que a defuma e transforma num manjar. A gordura dela é proposital, vai derretendo e deixando a carne mais tenra. Coma costela. Sem pudores, sem limites.

A Costela pode ser assada também, dependendo a churrascaria, no fogo de chão. É como os gaúchos a preparam. E é a melhor forma, claro. Em algumas churrascarias ela fica horas em aparatos providos de espetos em na diagonal, fincados no chão, e estão sempre à vista dos clientes. E fica lá, pingando a graxa (gordura) e alimentando a brasa.

Alcatra

Oriunda do músculo traseiro do boi, fica boa também no churrasco. Muito embora eu a prefira num strogonoff, bife ou qualquer outro preparo caseiro, ela tem seu sabor e apesar de não ser tão macia (é uma carne muito fibrosa) pode ser degustada moderadamente.

Se for pra escolher, escolha uma outra carne que é resultado do desmembramento da alcatra, que é a…

Maminha

Ela é muito mais macia que a anterior, apesar de também ser chamada de “Maminha da Alcatra”. Coma ela, preferivelmente, antes da Alcatra, se você realmente vai insistir em comer aquela coisa dura e cheia de nervos. Ela é uma carne tipicamente de primeira, ao contrário da alcatra, que é considerada mas não é.

Fraldinha

Não, não é o utensílio geriátrico que o boi velho usa na sua falta de cognição para realizar sua higiene. A Fraldinha é um corte tirado do abdomen do bicho, e apesar de ser fibrosa, vai bem num churrasco. Eu não como, particularmente, em churrascarias. Isso eu como em casa. Não preciso pagar trinta pilas para comer algo que costumeiramente tem no meu congelador. Mas geralmente quem a serve é um garçom novato e você pode fazer isso como a “boa ação do dia” dando ao rapaz orgulho de ostentar uma carne que já foi considerada de segunda, mas subiu para a primeira divisão no tapetão.

Filé Mignon

VOCÊ NÃO VAI COMER FILÉ MIGNON EM CHURRASCO! VOCÊ NÃO VAI COMER FILÉ MIGNON EM CHURRASCO! VOCÊ NÃO VAI COMER FILÉ MIGNON EM CHURRASCO! VOCÊ NÃO VAI COMER FILÉ MIGNON EM CHURRASCO!

Repita de novo: VOCÊ NÃO VAI COMER FILÉ MIGNON EM CHURRASCO!

Isso é bom num strogonoff daquela sua tia rica que ao invés de gastar o dinheiro resolvendo sua vida sexual atrasada, fica fazendo festinhas extravagantes toda sexta-feira pra não se sentir tão sozinha. E daí que é caro? VOCÊ NÃO VAI COMER FILÉ MIGNON EM CHURRASCO!

Cupim

Coma cupim. É outra carne que necessita MUITA perícia para ser preparada. Ninguém dá bola pra ela, mas o garçom que serve ela nunca entre em depressão por minha causa. Não deixo passar nunca, assim como a Costela. Por isso, ele sempre me consegue os melhores pedaços. Resumindo: coma cupim!

Entrecorte

O coringa. Sim, este é o coringa do rodízio. É gostoso, ninguém sabe de onde vem, nem mesmo o garçom, mas é gostosinho. É que nem xuxú: não tem aquele gosto especial mas num contexto ele faz sentido. Um pedacinho não vai te fazer mal, vai incentivar a venda e o consumo, e, de quebra, vai ajudar pesquisadores desocupados de Botswana do Norte a descobrir que diabos é essa parte do boi.

Fontes seguras dizem que o Entrecôte (como é também chamado), é o miolo do…

Contra-Filé

Sabe. Eu tenho muitas teorias que não consigo comprovar. Uma delas é com este corte. Já fiz vários churrascos em casa, para familiares e amigos, e o contra-filé, por ser uma opção econômica, é o que demonstra maior resultado na relação custo x benefício. Já assei cortes de contra-filé de fazer gente lamber os beiços. Mas não consigo gostar desta carne num rodízio. Todas me decepcionaram.

Talvez seja porque as churrascarias teimem em assá-lo por inteiro, e o ideal é que ele seja assado em fatias, tal qual a picanha. Vai saber! Coma por sua conta e risco.

Resumindo…

  • Se você comer picanha de primeira, você é um fraco capitalista. Traia o movimento, seja xingado pelo Dolabella e se pareça com o João Gordo, mas elegue a Picanha a um segundo plano.
  • Costela é sinônimo de churrasco gaúcho. Se você churrasqueia e não come costela, você, na verdade, não churrasqueia.
  • Cupim é bom. Coma cupim.
  • VOCÊ NÃO VAI COMER FILÉ MIGNON EM CHURRASCO!
  • Contra-filé somente se feito em fatias e se a cara do garçom tiver boa, para não correr o risco de pegar um pedaço ruim.

Mas você pode ainda não ter entendido. Por isso, fiz este pequeno “infográfico bovino”. Nas melhores churrascarias, você encontra um mapinha parecido, informando cada corte do boi. Aqui, eu facilito sua vida. Você imprime, recorta e leva na carteira para a próxima oportunidade. Se possível, deixe em cima da mesa. O garçom saberá o que te servir.

3 ideias sobre “Otimizando sua ida a Churrascaria – Parte IV”

  1. PORA meu!!!!!
    Tu nasceu com a barriga e depois de véio criou limo nas costas….
    Sabe né?
    – Porque o Catarino tem a barriga verde?
    – Ora!!! Porque o Gaúcho tem limo nas costas!!!!
    Brincadeira…
    Mas bem interessante seus comentários.
    Obrigado, parabens…
    Abraços
    Eduardo

  2. Certa vez um parente com bens fez um churrasco para 10 pessoas, eu estava entre elas, e para o encontro ele mandou matar 2 de sua criação de búfalos. Para o churrasco ele fez as peças de picanha, alcatra e filé mignon. Jamais nestes 27 anos que eu chamo de vida comi tanto e tão bom filé mignon como akele dia. Filét Mignon de búfalo é coisa linda de deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *