Arquivo da tag: café

Um delicioso desjejum café n’O Padeiro de Sevilha

Acredite ou não, shame on me, mas ainda não conhecia O Padeiro de Sevilha. Não foi por falta de vontade. Mas se há uma zona neutra pra mim é o centro da cidade. Quem é de fora talvez ache isso o cúmulo, mas o cúmulo mesmo é o centro da cidade ter poucas condições de estacionamento, ser cravado de morros que impedem que se suba e desça no verão sem chegar nos lugares encharcado de suor e, claro, ter muito poucas opções que valham a pena e que abram durante o dia.

De uns tempos pra cá O Padeiro de Sevilha ganhou um estacionamento ao lado e fui descobrir isso justo hoje quando visitei um edifício próximo, com estacionamento próprio, e após fazer exames médicos precisar urgentemente de um desjejum digno de um bárbaro.

padeiro-sevilha-mesa

Aliás O Padeiro de Sevilha é um lugar daqueles que você dificilmente vai com poucas expectativas, por tudo o que falam dele, e mais difícil ainda se frustra. O atendimento é muito bom, a comida é das melhores dessa área e a casa é muito aconchegante. Mesmo com o conceito de mesa única (uma grande gigante com cadeiras em sua volta onde todos compartilham do mesmo espaço, apesar de bem espaçosa), o que desagrada alguns, é muito aconchegante e o ambiente muito bonito. Há jornais do dia dispostos na mesa e você pode tomar o seu café se informando do que está acontecendo por aí.

padeiro-sevilha-estante-vidro-cookies

Logo na entrada existem estantes com gavetas de vidro onde estão os doces e salgados pra você escolher e se servir. Não há necessidade de alguém pra colocar os salgados no seu prato, apenas na chegada da mesa é que vem alguém pra marcar o que você está consumindo e pegar o pedido das bebidas.

Há a possibilidade também de você querer um sanduíche fresquinho feito na hora, com os mais variados tipos de pão e recheios à disposição do seu paladar.

padeiro-sevilha-cardapio-cafe

Outra grande sacada da casa é o que muitos cafés poderiam, e na opinião deste humilde blogueiro, deveriam copiar e implantar em seus estabelecimentos: um guia ilustrativo com os mais variados tipos de café a disposição, feitos na hora pelos baristas. Nem todo mundo sabe a diferença entre um café passado, um curto, um espresso, cortado etc.

padeiro-sevilha-saltenha-pao-queijo

Nesta visita eu comi apenas os salgados da casa, como os pães de queijo que te prendem a atenção pela maciez que já é visível através dos vidros e uma saltenha saborosíssima de frango.

padeiro-sevilha-cafe

Escolhi um café com leite pra acompanhar estes deliciosos salgados, e como todo bom gordo, atraído pelo cheiro do pão fresquinho que ficava pronto num forno disposto de frente pra mesa pra quem lá toma seu café possa acompanhar sua preparação, resolvi comer mais um pouco.

padeiro-sevilha-pao-forno

Me chamou a atenção a qualidade das massas, dos pães… São pães de verdade, massas crocantes por fora e macias por dentro, como qualquer discípulo de Ratatouille pode comprovar. Há menos produtos químicos e muito mais qualidade nos produtos preparados ali, o que faz você ter vontade de voltar mais vezes.

padeiro-sevilha-sanduiche-calabresa

Espero voltar em outra oportunidade pra experimentar também os doces, que só pela aparência devem ser deliciosos. Talvez na nova loja inaugurada no Passeio Pedra Branca. Bora lá?

O Padeiro de Sevilha

  • Endereço: Rua Esteves Jr., 214. Centro. Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3025-3402
  • Horário: De segunda à sexta-feira, das 6h50 às 20h30. Sábado das 7h às 14h.
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento: sim (pago)

Café Cenário: Curitibanos tem um café para chamar de seu

Gostei de Curitibanos. Não sei se porque estava em uma cidade onde o calor era absurdamente constrangedor e fui recebido em Curitibanos com uma temperatura civilizatória de 18 graus; se pela gente hospitaleira e gentil; pelas ruas largas e pouco movimentadas que te dão a impressão de conforto e calmaria; ou se pela gastronomia que, apesar de poucas opções acompanhando a densidade demográfica da cidade, dá um banho em muito estabelecimento da famigerada capital do estado.

cafe-cenario-entrada

Já havia almoçado em um lugar perfeito, o Monte Castelo, e agora me enrubesço de vergonha por não ter produzido material para um review. O salão do Restaurante Monte Castelo ocupa o que antigamente era o prédio do primeiro cinema da cidade e têm na cozinha uma verdadeira obra de arte.

cafe-cenario-torta-cenario

Em seguida fomos ao Café Cenário, um belíssimo café que abriu na cidade tem pouco tempo. O espaço deles é incrível, chega a ser difícil escolher onde você vai se sentar caso chegue por lá na hora da abertura da casa e com todas as mesas disponíveis. Há o primeiro ambiente, o interno, onde você pode tomar normalmente o seu café e deliciar-se com as gostosuras expostas no balcão.

cafe-cenario-ambiente-externo

Caso queira, há também uma parte externa, porém coberta, que aproveita a luz do dia e dá uma alegria a mais à sua refeição. Este conta com uma decoração diferenciada, também lindíssima, e com televisores, digno de um bom happy hour.

cafe-cenario-buffet

O terceiro, e não menos importante, é para quem não quer somente tomar um cafezinho e tomar uma torta, ou um salgado. Este é para quem vai lá comer uma das refeições que mais me emocionam na gastronomia, legado dos italianos e alemães que aportaram por estas bandas: o café colonial. É basicamente um buffet de tortas, doces e salgados, e que na foto não aparece completo visto que ainda estavam montando quando chegamos. A dona da casa topou em abrir 15 minutos antes pra gente, já que conheciam o Ricardo e a Vanessa, e estávamos na cidade com tempo contado para voltarmos.

cafe-cenario-parquinho

Nos fundos do terreno há um bom espaço ao ar livre com uma araucária enorme fazendo uma sobra confortável para os dias mais quentes, bem ornamentada com plantas e vegetação nativa.

cafe-cenario-brinquedoteca

Balanço e parquinho para as crianças, e ainda por cima uma brinquedoteca para deixar os pimpolhos ocupados enquanto você degusta o seu café.

cafe-cenario-cardapio

O cardápio conta com um grande elenco de cafés. Do simples espresso até cafés preparados com bebidas alcoólicas, como o Café L’aquila. Há salgados, doces dos mais variados feitos no dia, cupcakes, muffins enfim… até porções, cervejas, vinhos e espumantes para outras ocasiões.

cafe-cenario-quiche

Eu escolhi experimentar o Café L’aquila, que consiste basicamente num espresso, leite cremoso e uma dose de Amarula. Não sei de quem foi a idéia de juntar café com Amarula, mas este alguém está de parabéns! Que delícia!

Experimentei também a torta cenário. Essa é a torta da casa, bem fofinha e saborosa, feita com damascos e nozes.

Como estava saindo do almoço não tive condições estomacais de experimentar café colonial, estava ali para o café e a sobremesa que dispensei no Monte Castelo. Mas tive que pedir um salgado, que comi mais com os olhos do que com a barriga, para ter um feedback também da cozinha. Pedi uma quiche de brócolis. Outra iguaria muito bem preparada e saborosa, mostrando que a cozinha é bem versátil. Não tem grandes extravagâncias, mas consegue preparar muito bem doces e salgados dos mais diversos tipos, sem prevalecer ou relegar um ao outro.

cafe-cenario-torta-alema

Também experimentei a Torta Alemã, o meu doce favorito. E eu só conseguia pensar em quando poderia voltar a este templo mais uma vez e experimentar o restante das coisas que servem por ali.

cafe-cenario-capuccino

Este é o Capuccino do Cenário. Café puro, uma dose de chocolate quente, leite vaporizado e canela. Simples e perfeito.

O preço também é muito honesto. A toda esta comida e bebida não foram dispensados mais que R$30. Em alguns cafés aqui em Florianópolis, com a decoração e o amplo espaço que o Cenário oferece, nada menos que um cartão do BNDES seria necessário para o pagamento da conta.

Se você for de Curitibanos ou está de passagem pela cidade, como era o meu caso, visite-o! É incrivelmente saboroso estar lá.

Café Cenário

  • Endereço: Av. Vidal Ramos, 224. Curitibanos, SC.
  • Telefone: (49) 3241-4174
  • Aceita cartões: sim
  • Wifi: sim

Fairyland Café & Cupcakeria, onde os ladinos se encontram

Ladino. Diz o dicionário daquele que tem astúcia. La.di.no, só os astutos sabem separá-lo silabicamente. É um adjetivo, já notaram os espertos. E os ladinos.

“Tu és ladino!“, dizia minha avó,  quando eu tinha alguma atitude de esperteza, tanto para elogios como admoestação. Que Deus a tenha! eu não acredito n’Ele, mas ela acreditava, e muito, e ela era ladina. Vim de uma família de ladinos.

fairyland-cupcakes-entrada

A Michele, que fez o convite e publicou o primeiro review na Internet sobre a Fairyland Café & Cupcakeria, é ladina. Os ladinos tem esse tino. Tino é substantivo mas dá qualidade, qualidade nativa dos adjetivos, a de quem tem juízo. “Tu tens medo mas não tens juízo!“, dizia meu avô, que sabia muito bem me fazer recobrar o tino. O vô era ladino mesmo com um olho de vidro, perdido pela explosão de uma granada, numa das poucas vezes no exército onde lhe faltou o tino.

Porque sou ladino e tenho o tino, mesmo depois de uma empreitada cansativa para comprar presentes de Natal em um Shopping Center às vésperas do aniversário do filho daquele em quem não acredito, resolvi aceitar o convite da nobre amiga. Nunca me arrependi das suas sugestões, a quem Deus nunca deixe faltar o tino. Amém.

fairyland-cupcakes-ambiente

Cheguei no endereço informado e agradeci a Deus. Não só pela aconchegante casa bonita por fora e muito bem decorada por dentro, com mesas convidativas e confortáveis, objetos bem espalhados nas paredes e nas velhas cristaleiras, do tempo do meu avô,  mas pela vista exuberante que o local apresenta. Nada menos que o mar de Santo Antônio de Lisboa, aquele que intercede a Deus pelos casamentos, que podem muito bem começar com uma xícara de café no Fairyland Café & Cupcakeria.

É lugar pra levar a namorada, o namorado, o ficante, a família, os colegas de trabalho. Quem tem tino sai de lá com uma companheira ladina pra esquentar as intempéries de agosto que Deus manda.

Pode não parecer ladino, mas eu comecei experimentando os doces. Achava que ia ficar só no cupcake. Não mostrei astúcia quando troquei três vezes o primeiro pedido, que eu achei que seria o único, pois não me decidia nos sabores dos bolinhos. Até pedi um não-bolinho. Vi de relancina a minha avó, com uma sandália Kenner na mão atrás do balcão de vidro, querendo me cobrar o tino de um jeito particular e convincente.

Red Velvet Cupcake
Red Velvet Cupcake

Aí chegou o Red Velvet Cupcake. Esse pequeno veludo vermelho e saboroso me fez conhecer o Deus da minha avó. Descobri que Deus é um cupcake avermelhado.

Brownie da Maria
Brownie da Maria

Depois veio o Brownie. Eles o chamam de Brownie da Maria. Tá tudo explicado. Os ladinos chamaram o Pai, a Mãe e o Santo. Tão sagrado como o nome que carrega, amor de mãe quando dissolve na boca e explode em sabores do mais puro e imaculado chocolate.

Coxinha diferente
Coxinha diferente

Em seguida comi uma coxinha. Já me dava por satisfeito mas a maldita lombriga que habita o meu ser pediu. A Jéssica tem o tino pro negócio, fez eu me interessar pela “coxinha diferente”. PUTA QUE PARIU! exclamei quando comi. Nem a cara feia da minha avó quando eu falava palavrão foi capaz de segurar a interjeição, qualidade de quem adjetiva uma boa comida com palavrão.

Empada de carne-seca
Empada de carne-seca

Veio também uma empada de carne-seca. Deixei até cair uns desfiados de charque pro Santo, sabe como é. Sou ladino. E o Santo é DO CARALHO! Meu vô piscou o olho de vidro nesse momento.

A casa foi inaugurada neste mesmo dia, contando com uma boa frequência de outros ladinos que ocupavam suas cadeiras, enquanto o Fernando, mentor e proprietário da Fairyland mostrava que tinha o tino pro negócio.

Tu és ladino, einhô? Então toma o tino e vai conhecer esse lugar.

E que Deus te abençõe, meu filho! coincidentemente a mesma última frase que os dois me disseram antes de ir com Deus, Maria e o Santo. Porque eles ensinaram a “pedir bênção”, e eu fazia de ladino.

Fairyland Café & Cupcakeria

  • Endereço: Caminho dos Açores, 1740. Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis.
  • Telefone: (48) ) 9132-3432
  • Horário: de terça à domingo, das 13h às 20h.
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento: sim

Café Colonial do Tirolês, comideria no vale do Itajaí

A pequena e pacata cidade de Itapema, até onde eu conheço, e as memórias mais recentes me puxam lá pra 2010, não é uma cidade forte gastronomicamente falando. É uma cidade muito calma nos dias normais do ano e que fervilha no verão com a chegada dos gaúchos, paranaenses e catarinenses vindos do alto vale e do oeste passarem as férias.

cafe-colonial-tiroles-entrada

E é nas margens da rodovia BR 101 que fica o meu lugar preferido pra acariar o estômago e afagar a alma neste pedaço de rincão do vale do rio Itajaí-açú. O Café Colonial do Tirolês é certamente um dos melhores lugares pra se apreciar um bom lanche na região e de beira-de-estrada só tem sua localização geográfica.

O Fritz, proprietário da casa bastante aconchegante e familiar, é quem recebe os visitantes que ali decidem tomar um café colonial todo paramentado com a indumentária germânica, tão cheio de si ostentando a vestimenta e o espírito do colonizador desta região catarinense.

Na minha última visita no Tirolês, juntamente com meus convivas a quem indiquei que viajássemos os 55km de Florianópolis até Itapema para um café-almoço, tentei listar todas as comidas que eram oferecidas, visto que as vezes acabo me esquecendo de um prato ou outro pra citar aqui. Mas é impossível fazer isso no Tirolês. É muita comida.

cafe-colonial-tiroles-geleias

A brincadeira começa na primeira recepção à mesa onde você recebe dois pratos com vários ramecãs de geléias, mel, melado, patês, nata e manteiga, juntamente com torradas de pão-de-forma feitas na hora, quentinhas, para abrir os trabalhos.

Com elas, vêm também uma jarra de café e outra de leite, e você ainda pode aceitar um suco de uva ou laranja, ou quem ainda ainda um chocolate gelado. Prefere chá? Também tem, vários sabores, tudo feito na hora.

Torradas experimentadas, e agora?

Agora, meu amigo, prepara o estômago que o negócio é forte.

cafe-colonial-tiroles-salsichao

Um buffet espera por você com quatrocentos e cinquenta e dois mil tipos de comidas típicas alemãs ou abrasileiradas diferentes. Salsichão vermelho, branco e apimentado, ovos mexidos, chucrute, uns 12 tipos diferentes de pães, 8 tipos de queijos dos mais variados, fiambres de toda a sorte passando por salames, torresmo, morcilha, presuntos, mortadelas, lombo defumado, copa, etc.

cafe-colonial-tiroles-frios

Acha que acabou? Não, não. Ainda tem dois tipos de tortas frias diferentes (cenoura e atum ou pepino e frango), legumes picados, caponata, pão de queijo, salgadinhos fritos, salgados empanados, molhos…

cafe-colonial-tiroles-sobremesas

Cansou dos salgados? Sem problemas, na parte de doces pelo menos mais uns 30 tipos diferentes, entre eles o strudel de banana, o apfelstrudel (strudel de maçã), 10 tipos de bolos secos ou com coberturas, outros 6 tipos de tortas com versões normais e light, sobremesas como pavês e pudins, além de bolachinhas para acompanhar o café.

cafe-colonial-tiroles-doces

Todas as comidas muito bem preparadas pela cozinha da própria casa que a todo momento confere se está tudo fresco e se o buffet está completo, não deixando faltar nada caso você queira repetir, o que pode ser feito quantas vezes julgar necessário e sentir vontade.

O atendimento também é de primeira. Fomos atendidos pelo garçom Aldo, um cara muito gente boa que a todo momento checava se queríamos algo diferente, se poderia nos ofereceber uma bebida ou trazer mais café, e quando precisava limpava nossa mesa com os restos mortais dessa comideria toda.

É um daqueles lugares pra você chegar com completa parcimônia e ir degustando um pouquinho de casa coisa, sentindo cada sabor, sem ansiedade porque você NÃO VAI conseguir experimentar TUDO de qualquer forma, mas tentando conhecer cada pedacinho do que a família do Fritz tem pra oferecer.

cafe-colonial-tiroles-emporio

Na saída, ainda pode dar uma passada no mini-empório junto ao caixa onde pode levar pra casa algumas bebidas, pães, cucas, bolos, geléias e outras iguarias.

O preço é mais que justo: R$38 por pessoa com o buffet livre e bebidas como o café e leite, sucos, chás e chocolate gelado inclusos. Nem mais, nem menos, nem 10%, o que teria sido bastante justo.

Se você está de passagem no litoral norte da 101 ou mesmo está por perto e quer um passeio diferente naquele domingão ao invés de ficar em casa vendo o Faustão, vá conhecer o Tirolês, sie hallo! e seja feliz, de barriguinha cheia.

Café Colonial do Tirolês

  • Endereço: Rodovia Governador Mário Covas – BR-101, KM 143. Ilhota. Itapema, SC.
  • Telefone: (47) 3368-2556
  • Horário: de quarta à segunda, ads 9h às 21h.
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento: sim

Casa da Itinga, comida simples e bem feita por Vitor Gomes

Estamos numa fase de refazer o simples. Vejo esse movimento começando a ganhar força aqui em Florianópolis após termos perdido um pouco das nossas raízes. Enquanto nas praias as maiores heresias vem sendo cometidas contra o coitado do camarão, nos arrabaldes do município estávamos exauridos de tanta comida gringa enfeitando as mesas e acrescentando pouco paladar. A globalização, por si só, não é a grande vilã. Ela é inevitável e agrega bastante às culinárias regionais, mas fazer o bonito sem deixar de perder o sabor, que é o que realmente importa dentro de um prato, é que são elas.

Casa da Itinga: aconchegante e saboroso
Casa da Itinga: aconchegante e saboroso

Ontem visitei o Café Casa da Itinga que tem assinatura do Chef Vitor Gomes. Assinatura e feitio, diga-se de passagem. Tive a oportunidade de experimentar os pratos do recém aberto café do Corporate Park, um centro empresarial localizado na SC 401, e bater um papo com um dos principais chefs de Florianópolis entre uma garfada e outra de um Arroz de Carreteiro.

Exatamente o que você leu: Arroz de Carreteiro. Essa é a proposta do Vitor Gomes com a Casa da Itinga, um cardápio com comida tradicionalmente simples mas com muito, muito sabor. Fazer o simples bem feito é exatamente a chave desse reavivamento da gastronomia aqui da cidade e a aposta do também proprietário do Ponto G Gastronomia.

Diariamente os pratos são estes, na sequência: abre segunda-feira com arroz de carreteiro, terça tem strogonoff de frango, mini feijoadinha na quarta, lasanha de legumes com ricota em plena quinta-feira e fecha na sexta um nhoque com carne de panela. A sobremesa, que pode completar o cardápio ou não, vai do gosto e vontade do cliente, também é diferente todos os dias.

Arroz de Carreteiro
Arroz de Carreteiro

Comi nesta segunda-feira o arroz de carreteiro. Posso garantir que foi um dos melhores que já comi. O ponto do arroz estava ótimo, a carne não ficou excessivamente salgada mas também não perdeu seu sabor forte característico e o tempero verde combinou bastante, como é prache na receita. Além é claro de um bom queijo ralado por cima.

Salada verde, tomates frescos e folhas de basílico
Salada verde, tomates frescos e folhas de basílico

A refeição foi aberta com uma salada verde com tomates frescos e folhas de manjericão. Também acompanha queijo e e, como não poderia deixar de ser, um azeite de oliva de boa qualidade pra dar mais sabor à entrada.

Mousse de chocolate para a sobremesa
Mousse de chocolate para a sobremesa

Fechou com chave de ouro uma mousse de chocolate, outro elemento simples do cardápio, mas muito bem preparada. A textura dessa mousse é exuberantemente incrível. Espero que a foto consiga passar o prazer que tive ao experimentá-la.

A sobremesa foi acompanhada de um cafezinho, cortesia da casa.
A sobremesa foi acompanhada de um cafezinho, cortesia da casa.

Segundo Vitor esse cardápio deve permanecer por cerca de dois meses quando é substituído por uma nova seleção de pratos, mantendo a mesma tendência e padrão.

O atendimento me chamou bastante a atenção. O estalecimento foi recém aberto, mais precisamente abriu as portas na última quinta-feira então alguns detalhes estão para ser implementados como as maquinetas de cartões de crédito e débito, a identidade visual do restaurante etc. Entretanto a cozinha e o atendimento já está afiado e fluindo muito bem. Todos os pedidos vieram corretamente, fomos muito bem recepcionados, todas as dúvidas sanadas com bastante gentileza e demonstravam sempre preocupação com o serviço.

Doces e salgados
Doces e salgados

Como um bom café, a casa conta também com uma boa variedade de doces e salgados para começar bem o dia ou para o lanche da tarde. E pode se achegar caso queira um simples café ou chope.

A gastronomia agrada o paladar e o estômago, a decoração agrada aos olhos
A gastronomia agrada o paladar e o estômago, a decoração agrada aos olhos

O preço é bastante honesto: o almoço custa R$21 com sobremesa ou R$17 sem ela. Contabilizando o refrigerante e uma água, o almoço saiu por pouco menos de trinta reais.

Fiquei bastante impressionado com o lugar, me senti muito a vontade e recomendo uma visita!

Café Casa da Itinga

  • Endereço: Rod. SC 401, KM 8. Corporate Park, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis.
  • Horário: de segunda à sexta-feira, das 9h às 19h.
  • Estacionamento: sim

Media Luna Café: Boutique de doces argentinos em Porto Alegre

Quando estacionei o carro na simpática Dr. Timóteo, rua do bairro Moinhos de Vento em Porto Alegre, não tinha outra expectativa senão tomar um rápido café da manhã no Media Luna. Mas as mesinhas na calçada de uma rua arborizada e cercada por bonitas construções que lembram bastante um bistrô francês, ainda que eu nunca tivesse visitado o velho mundo,  essa convidativa entrada é quase como um ímã pra que fique ali o tempo suficiente de ter uma excelente experiência gastronômica.

Media Luna Café
Media Luna Café

E por falar nos franceses é deles o hábito de fazer o desjejum com croissant, que certamente você já deve ter experimentado. Croissant quer dizer crescente em francês fazendo uma analogia à fase da Lua, o que conhecemos por Meia Lua. E Media Luna nada mais é do que o jeito que os nossos vizinhos argentinos chamam esta iguaria que tem sua origem floreada através de algumas lendas envolvendo o continente africano e o século XVII, até sua primeira receita publicada no Larousse em 1938. Aliás, não é preciso dizer que a casa é administrada por argentinos, o que garante a procedência da qualidade em fazer não só estes saborosos pãezinhos como também os doces, tortas, alfajores e demais quitutes que te remetem à Buenos Aires.

Ambiente do Media Luna
Ambiente do Media Luna

A casa é muito bem decorada e aconchegante. Desde os quadros na parede com a temática de um tango até as mesas confortabilíssimas pra se degustar um bom café. O balcão de doces e salgados é uma TV em FullHD: você fica com os olhos vidrados e esquece do mundo lá fora. É salivante.

Quadros sobre Tango e tomadas para gadgets
Quadros sobre Tango e tomadas para gadgets

Um detalhe interessante são as tomadas posicionadas nas paredes laterais do café, como você na foto acima. Você pode carregar seu telefone ou computador portátil enquanto faz sua refeição e bate um papo, ou simplesmente utilizar a Internet e aproveitar o tempo que está lá dentro.

Media Luna Llena e Espresso Doppio
Media Luna Llena e Espresso Doppio

Eu não tive tanta dificuldade de escolher o pedido porque já havia escolhido que queria um salgado, e iria experimentar a Media Luna, o nome que ostenta o lugar. E escolhi o sanduíche Media Luna Salada Llena, que é um croissant recheado com quatro queijos (cream cheese, mussarela, parmesão e ricota). Não consigo escrever outra coisa senão um “vá lá e experimente também”. É, com certeza, um dos melhores salgados que já comi na vida. Com ele tomei um Espresso Doppio, um também delicioso café espresso duplo.

Balcão de doces: salivem!
Balcão de doces: salivem!

O atendimento segue a linha da perfeição da comida. Desde a entrega do cardápio até um bate-papo no final quando um dos proprietários, Abel Bluemankrantz, quando ele explicava sobre as redes sociais em que o Media Luna estava inserido e falava das promoções que rolavam por lá, sempre fomo muito bem tratados, como verdadeiros convidados, com muita gentileza e cortesia. A Media Luna é feita na hora, ou melhor, feita no dia, mas é recheada e transformada em sanduíche na hora. Mas não levou mais que 10 minutos pra tomarmos o nosso café da manhã.

A media luna recheada custou R$9,50 e o café espresso duplo R$3,50.

A casa conta ainda com mil folhas, tortas, alfajoros feitos diariamente e por eles mesmos, as media lunas sem recheio, caso prefira, pascualinas e uma gama de doces de dar inveja a qualquer patisserie. É possível receber isso em casa através do sistema de delivery.

Se você está em Porto Alegre e quer ter uma experiência gastronômica diferente, não deixe de visitá-los!

Media Luna Café

  • Endereço: Rua Dr. Timóteo, 890. Moinhos de Vento, Porto Alegre.
  • Telefone: (51) 3264-0942
  • Horário: de segunda à sábado das 8h às 20h. Aos domingos, das 15h30 às 20h.
  • Aceita cartões: sim
  • Wifi: sim