Arquivo da tag: carne

Maria Farinha Grill: nem só de peixe vive a orla de Coqueiros

OK, sabemos que há muito tempo, mesmo antes dos mais famosos de frutos do mar existe ali uma pizzaria bem conhecida, um buffet de comida chinesa e coisa e tal. A Via Gastronômica de Coqueiros é talvez a mais eclética e heterogênea das vias da cidade, organizadas ou só nominais, como é o caso da Lagoa. Mas comer uma boa carne sempre foi um pré-requisito dos bairros de periferia, junto às marginais de rodovias ou então em bairros tradicionais. E comer um bom grelhado na beira de uma linda praia é muito gostoso.

maria-farinha-grill-entrada

Dia destes visitei o Maria Farinha Grill, querendo num almoço de domingo comer um bom pedaço de carne sem o corre-corre dos rodízios de churrascarias e as longas esperas por uma mesa. Cheguei por volta das 13h no restaurante localizado no bairro Itaguaçu, ali onde escrevi sobre as pedras e as bruxas. Lá mesmo.

maria-farinha-grill-ambiente

O restaurante é muito simpático. Não só pela excelente vista que tem da praia, mesmo no primeiro andar que divide-se no salão interno e outra com mesinhas na rua e come-se ao ar livre. Bem aconchegante, te abraça com aquele clima de beira de praia e bom atendimento. Este, inclusive, um excelente ponto, uma vez que tudo foi perfeito do início ao fim, serviço impecável.

maria-farinha-grill-caldinho-feijao

De entrada experimentei a Poção Encantada (R$3), uma canequinha dessas de barro com um delicioso caldinho de feijão. Bom pra dar aquela forrada e esperar os 25 minutos para a confecção do prato (ponto positivo, avisam no cardápio quanto cada ítem costuma, em dias normais, demorar).

maria-farinha-grill-bife-chorizo

Ignorei o fato de que no cardápio estava como “Bife de Chouriço” (R$32), postulando que chouriço é um preparo da charcutaria portuguesa, parecido como uma linguiça, e pedi o bife da parte macia do contra-filé, corte alto e mal passado no seu interior, e muito apreciado na Agentina, o “Bife de Chorizo”.

maria-farinha-grill-chorizo

Ele não veio exatamente como nas casas argentinas, onde come-se praticamente cru no meio, mas perfeitamente entendível que é uma adaptação ao gosto brasileiro, principalmente no que tange o ponto da carne. Estava delicioso. A carne foi guarnecida de pão marroquino e legumes variados cozidos no vapor.

maria-farinha-grill-chimichurri

Para acompanhar pedi Molho Chimichurri (R$4), que é “unha e carne” com bife de chorizo. O chimichurri é o que chamo carinhosamente de “las yerbas del diablo”, e já escrevi aqui sobre ele.

maria-farinha-grill-maionese

Também pedi uma Maionese de Batatas (R$9), pois a veia gaúcho/catarina não me deixou passar argentiníssimo em toda a refeição. Muito bem preparada, com molho caseiro, como deve ser, e batatas no ponto certo.

maria-farinha-grill-galeto-primo-canto

A Michele foi de Galeto Primo Canto (R$22), prato típico da serra gaúcha. Guarnecido de polenta frita, maionese e salada de radiche com bacon, como manda o figurino (porco diuna!). Muito bem servido e saboroso, assegurou a nobre colega de comiderias.

Não comi sobremesa porque sou pobre.

maria-farinha-grill-cardapio

Fiquei com vontade de voltar lá pra destrinchar melhor o cardápio, experimentar os aperitivos e pratos que são temáticos e homenageiam todo o folclore local, bruxólico de dar inveja ao Peninha e ao Franlin Cascaes. E com certeza voltarei, aprovadíssimo!

Maria Farinha Grill

  • Endereço: Rua Euclides da Cunha, 93. Itaguaçu, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3879-0043
  • Aceita cartões: sim

 

Costelaria Ponta d’Agulha, uma boa costela pra receber amigos

Uma das maiores demonstrações de afeto que alguém pode fazer por outra pessoa é cozinhar pra ela. Aqui no Sul quando queremos mostrar que alguém é bem vindo, além de prepararmos uma refeição pra quem nos chega dando Oh de casa!, cevamos um chimarrão — com jujos n’água, por supuesto — e colocamos uma ripa no braseiro.

Mas a correria do dia-a-dia nem sempre facilita. Num mundo moderno e prático, levar quem desencilha no galpão num restaurante funciona tal e qual. Mas um bom restaurante, onde se tenha um churrasqueiro bagual e uma comida de cinchar o bucho.

Costelaria Ponta d'Agulha
Costelaria Ponta d’Agulha

Na segunda-feira estive com o Joel, a Dani e o Rapha na Costelaria Ponta d’Agulha. Já havia ido lá umas duas vezes, sabia da qualidade da carne e do atendimento. O estacionamento tá sempre cheio, talvez isso espante quem passe pela SC 401. Mas vale, se tiver fila de espera, aguardar  uns minutos pra saborear todas as iguarias que por lá são servidas. Não falta uma boa cerveja especial e uns aperitivos enquanto vaga uma mesa.

Gosto do atendimento da Costelaria. Não só os pedidos vêm rapidamente, você não precisa aguardar horas e horas por uma simples água, como todos os funcionários que trabalham ali são muito gentis. Dá gosto de ver equipes entrosadas e que estão com vontade de vestir a camisa do lugar como a deles.

Mas é na comida que a gente se esbalda.

Janela da Costela
Janela da Costela

O sistema é à lá carte. Você escolhe a carne que quer comer, pede um corte para o número de pessoas que irão degustá-las, eles preparam, pesam e servem na mesa. Nós pedimos a Costela Janela, que é a parte mais saborosa dessa carne, ela fica no centro da ponta de agulha, sem o pedaço fibroso e no lado oposto das ripas. Preparada com no mínimo 8 horas de fogo, chega quase desmanchando na boca e com um paladar inigualável. Coisas que só carnes com gordura e osso podem propiciar. É claro que se você não gostar de costela existem outros cortes como o bife ancho e a picanha, por exemplo. Mas eu recomendo fortemente experimentar a parte mais saborosa do boi.

Maionese, arroz de carreteiro, farofa e chimichurri
Maionese, arroz de carreteiro, farofa e chimichurri

Os acompanhamentos também são pedidos separadamente. Nesta visita nós pedimos a salada de batatas com maionese, uma das melhores que já provei até hoje, uma farofa e ao invés do arroz branco, o arroz de carreteiro. Aliás mesmo que você já esteja comendo carne, recomendo muito esse arroz de carreteiro. Bem suave, carnes desmanchando e ovo picado, salsinha e queijo por cima, como manda o figurino.

Para “regar” a carne, fica a sugestão do molho de chimichurri. Esse que eu chamo de um molho feito com las yerbas del diablo, acompanha bem qualquer corte bovino e atribui um gosto dos deuses na comida.

Cervejas especiais
Cervejas especiais

Outro detalhe que me chamou bastante atenção na Costelaria Ponta d’Agulha é a carta de cervejas. Além do tradicional vinho, é possível harmonizar as carnes com boas cervejas. Você pode, claro, tomar as mais comerciais, mas ter rótulos de cervejas especiais conta muitos pontos pra esse nicho que tem sido cada vez mais explorado Brasil afora.

O preço é honesto. O kg dessa costela, por exemplo, é por volta de 60 reais. Nós pedimos um pedaço pra 4 pessoas, beirando os 2kg, mais os acompanhamentos, cervejas e águas e pagamos em torno de R$55 por pessoa, pra comer bem e em boa quantidade.

Se está procurando uma boa carne, e se ainda quer mostrar para os forasteiros como se come carne de verdade, recomendo a visita!

Costelaria Ponta d’Agulha

  • Endereço: SC 401, 7626 (km 8). Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3338-2850
  • Horário: Quarta à sexta, das 11h30 às 15h e das 16h30 às 22h30. Aos sábados e domingos das 11h30 às 16h.
  • Estacionamento: sim
  • Aceita cartões: sim

Gato Mamado: um bar simpático e com atendimento VIP

Gosto de comida de boteco. Não é daquelas comidas que você sai somente para degustá-la, as vezes ela nem é suficiente pra matar a fome,  ela geralmente acompanha uma bebida, uma boa conversa ou alguns ressábios. Como diz um índio xucro da Forquilinha, é “pra salgar a palavra”.

O Chiquinho é um cara bom de prosa. Me chamou no chat do Facebook perguntando onde era a janta. Não refugo bolada, principalmente se o convite envolve boa conversa e comida, e uma hora depois largávamos nossas empresas pra conhecer o Gato Mamado, já avalizado pelo Guilherme e pela Michele.

Gato Mamado Snooker Bar
Gato Mamado Snooker Bar

O recém aberto snooker bar ainda estava vazio quando chegamos, escolhemos uma mesa e o ouvimos um bom rock enquanto aguardávamos nossas bebidas.

Chope Schornstein Weiss e Michele com sua Margarita.
Chope Schornstein Weiss e Michele com sua Margarita.

Abri uma exceção e pedi um chope. Sou homem de pouca bebida, mas unzinho pra relaxar não faz mal. Aliás dois. Weiss. Chope de trigo da Schorstein, cervejaria catarinense que bate de frente com todas as outras marcas conhecidas de cervejas especiais que o bar oferece. E não são poucas.

Mesas de sinuca, diversão garantida
Mesas de sinuca, diversão garantida

Numa das quatro mesas oficiais de sinuca provamos que precisamos  de mais sustância pra sermos considerados botequeiros de primeira categoria. Mas de comida entendemos, e pedimos alguns quitutes.

Carne de onça. Quer uma dica? experimente!
Carne de onça. Quer uma dica? experimente!

Abrimos com essa carne de onça. Iguaria que eu inclusive ainda não havia experimentado. Conheci ontem. Bah! carne bovina crua picada na faca curtida na cebola, alho, pimenta, sal e bastante azeite de oliva. Tudo isso em cima de uma fatia de torrada levemente crocante. Tem um sabor incrível, delicioso e acompanha muito bem uma cerveja.

Linguiça Blumenau Flambada
Linguiça Blumenau Flambada

A gente já estava na segunda partida de Bola 8 quando chegou o outro prato. A linguiça Blumenau tem o mesmo efeito do bacon, pra mim. Nada que vá essa linguiça pode ficar ruim. Não deu outra. A Linguiça Blumenau flambada acompanhava fatias de pão de trigo e molho de mostarda, igualmente delicioas.

O Gato Mamado é daqueles lugares pra voltar sempre. Não tem garçons, quem te atende é o dono da bodega, que é quem confecciona os pratos e serve a bebida. É de inigualável simpatia e hospitalidade. Além disso o preço é honesto.

A conta com as bebidas, comidas e a sinuca ficou em torno de R$35.

Ah, e se alguém quiser me ensinar a jogar sinuca direito, tô aceitando.

Gato Mamado Snooker Bar

  • Endereço: Rua Des. Arno Hoeschel, 81. Centro. Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3225-0933
  • Horário: das 19h até a hora que sair o último vivente.
  • Aceita cartões: sim

TOP 5 – Onde comer churrasco em Porto Alegre

Olá, venho até você com mais uma lista TOP 5 de restaurantes. Aqui no blog já fiz uma lista com o TOP 5 de melhores sushis de Floripa, além do TOP 5 Xis e um TOP 10 lugares para se degustar um bom café. Agora é a vez de Porto Alegre ganhar uma lista de cinco lugares bacanas para se comer uma boa carne. Note que não é uma lista das cinco melhores churrascarias de Porto Alegre, não tenho amostragem suficiente para garantir tal proeza, mas um guia para você comer um churrasco típico na capital dos gaúchos.

Churrascaria Freio de Ouro

Costela 12h da Churrascaria Freio de Ouro
Costela 12h da Churrascaria Freio de Ouro

Pela ordem cronológica esta foi a última churrascaria dessa lista que visitei mas também foi a melhor. Embora tenha o sistema de rodízio não deixa a desejar no atendimento e menos ainda negligencia as carnes. Pelo contrário, o atendimento é muito rápido e eficiente e as carnes… bah! não poderia usar outra interjeição se não uma bem gaúcha para descrever o sabor de uma carne servida por lá. Destaque para o Costelão 12h, cuja foto adorna o post, e a Maminha ao Molho de Alho. O preço também é um diferencial interessante, embora nem seja critério neste post: por 31 pilas você tem acesso a um buffet de saladas saboroso, outro de pratos quentes e um rodízio de carnes completo.

  • Endereço: Rua José de Alencar, 460. Menino Deus, Porto Alegre.
  • Telefone: (51) 3029 -5857
  • Horário: de segunda à sábado das 11h30 às 15h, e das 19h a 0h. Domingo das 11h30 às 16h.
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento: sim
  • Wifi: sim

Parrilla del Sur

Tapa de Cuadril do Parrilla del Sur
Tapa de Cuadril do Parrilla del Sur

O Parrilla del Sur, como já diz o próprio nome, não é bem uma churrascaria: é uma parrillaria. Os assados são no melhor estilo uruguaio e o sabor da carne é inigualável. Oferece cortes uruguaios no estilo à lá carte e tem acompanhamentos também típicos da República Oriental. A picanha deles, um pouco diferente na forma e no nome, ganha a alcunha de Tapa de Cuadril e que é cortada em forma de borboleta, é o minha sugestão. Mas é possível comer os famosos chinchulíns e riñones sem qualquer dificuldade. O atendimento é perfeito e rápido. Média de R$40 por pessoa.

  • Endereço: Av. Nilópolis, 111. Bairro Bela Vista, Porto Alegre.
  • Telefone: (51) 3012-7878
  • Horário: Segundas das 18h30 às 24h, Terças à Sábados das 11h30 às 24h e domingos das 11h30 às 23h.
  • Estacionamento: sim
  • Wifi: sim
  • Aceita cartões: sim

Na Brasa

Cordeiro ao molho de amoras da Na Brasa
Cordeiro ao molho de amoras da Na Brasa

Essa é considerada uma das melhores churrascarias de Porto Alegre. A churrascaria Na Brasa é também beira à perfeição em muitos quesitos, com cortes bovinos, suínos e ovinos que deixam qualquer paladar em polvorosa. O preço é um pouco mais salgado; um rodízio em pleno domingo com um ou dois refrigerantes chegam a custar R$80 por pessoa, mas certamente cada centavo é muito bem investido, principalmente por conta das carnes nobres oferecidas como o carré de cordeiro. O atendimento é espetacular, o ambiente é agradável e toda a experiência dentro do restaurante é magnífica. Destaque para a paleta de cordeiro com molho de amoras.

  • Av. Dr. Nilo Peçanha, 2131. Boa Vista, Porto Alegre.
  • Telefone: (51) 3333-1413
  • Horário: De terça a sexta-feira, das 11h30min às 15h e das 18h30min às 24h. Aos sábados, das 11h30min às 24h. Domingos e feriados, das 11h30min às 23h.
  • Estaciomento: sim
  • Wifi: sim
  • Aceita cartões: sim

Vermelho Grill

Asado de tiras do Vermelho Grill
Asado de tiras do Vermelho Grill

Outra casa que oferece cortes uruguaios e mescla cortes brasileiros, o Vermelho Grill é também uma excelente pedida para se comer uma boa carne em Porto Alegre. Talvez o mais democrático dos restaurantes que visitei nessa lista, tem no cardápio desde um asado de tiras até kobe beef. Não que o asado de tiras, que são cortelas bovinas cortadas na espessura de um dedo e grelhadas na parrilleira, sejam ruins. Pelo contrário, foi o que comi e destaco aqui pela macies e sabor. Mas poder experimentar vários níveis de paladar num único lugar mostra que o Vermelho merece, sim, uma visita. Média de R$35 por pessoa.

  • Endereço: Av. Veríssimo do Amaral, 37 – 90360-470 – Bairro Jardim Europa – Porto Alegre / RS
  • Telefone: (51) 3333.0253
  • Horário: D segunda à sábado para almoço e jantar, e domingo apenas para o almoço.
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento privado: sim
  • Wifi: sim

Barranco

Entrecot do Barranco
Entrecot do Barranco

O Barranco já é tão tradicional quanto Porto Alegre. Churrascaria daquelas mais simples, onde as famílias costumam se encontrar todos os domingos, tem rodízio no almoço e pro jantar oferece um menu à lá carte. O atendimento é bom mas o lugar está sempre cheio, o que faz o atendimento que é sempre muito gentil e funcional demorar um pouco na entrega dos pedidos. Destaque para o entrecot que serve deliciosamente duas pessoas por cerca de R$30 por indivíduo.

  • Endereço: Av. Protásio Alves, 1578. Petrópolis, Porto Alegre.
  • Telefone: (51) 3331-6172
  • Horário: diariamente das 11h às 2h.
  • Estacionamento: sim
  • Aceita cartões: sim

Espero que tenham gostado das indicações, se for visitar alguma delas nos deixe o feedback. Ou se tiver alguma outra para indicar uma visita nossa, também fiquem à vontade.

Feira Ecológica da Redenção e receita de Cozido de Legumes

Nós comemos muita porcaria. Não, fique tranquilo, não farei aqui o discurso ecochato da sustentabilidade whiskas-sachê. Nós comemos muita porcaria porque a grande maioria dos alimentos que entra pela nossa boca passaram por processos de conservação seja para ganho de peso ou tamanho ou para controle de pestes. Ok, entendo que nós temos a tendência de nos preocuparmos sempre no risco de nos benefirciarmos de certas tecnologias e nunca nos riscos de não usá-la, mas é assustadora a diferença de qualidade de produtos que sofrem ou não com agentes químicos, principalmente os mais básicos.

Feira Ecológica da Redenção, em Porto Alegre
Feira Ecológica da Redenção, em Porto Alegre

Ontem estive na Feira Ecológica da Redenção, uma feira de produtos orgânicos que acontece todos os sábados pela manhã no Parque Farroupilha na capital gaúcha. Lá são comercializadas toda a sorte de produtos orgânicos, com presença maciça de verduras, legumes, frutas, hortaliças, pães, cogumelos, queijos, temperos e especiarias. Até cachaças e licores que não receberam nenhum tipo de pesticida ou fertilizante químico sintético você acha.

Feira Orgânica
Feira Orgânica

Se comer melhor não é atrativo o bastante, o passeio num lugar muito bonito e arborizado, a troca de informações com os comerciantes das barracas lá instaladas e o preço bastante honesto dos produtos fazem com que você tenha vontade de voltar. Dá pra ser feliz indo lá aos sábados programando as refeições da semana, ou pelo menos parte delas.

Batatas menores e mais saborosas
Batatas menores e mais saborosas

Em relação ao preço, achei bastante honesto. Por meio quilo de batata baroa, por exemplo, paguei R$2,50. Um maço de couve, um nabo estilo japonês e cebolinha chinesa custaram pouco mais de 6 reais. Com mais dois pilas você leva um bouquet com 4 alhos porós. Com 50 reais nessa feirinha você volta com algumas sacolas cheias. Ou ecobags, sacolas ecológicas, vistas com frequência ali na Redenção.

Ervas de todos os tipos. Chás e temperos para todos os gostos.
Ervas de todos os tipos. Chás e temperos para todos os gostos.

Decidi fazer o almoço deste sábado com as coisas que comprei na feira ecológica. Gostaria de ter substituído todos os ingredientes do prato que escolhi por orgânicos, mas pra mim é impossível substituir carnes e embutidos, além de estarmos um pouco longe da colheita do milho, ingrediente importante do Cozido de Legumes da forma que é feito na minha terra e que tive que buscar no mercado convencional. De qualquer forma eu fiquei bastante satisfeito com a possibilidade de ter feito quase 90% do prato com produtos que não levaram agrotóxicos, conservantes de qualquer natureza e eliminado alguns intermediários na cadeia de consumo.

A Feira Ecológica fica no Parque Farroupilha, a famosa Redenção, na  Av. José Bonifácio, 675, no bairro Bom Fim em Porto Alegre.

Sem mais delongas, vamos à receita do Cozido?

Ingredientes

Ingredientes do Cozido de Legumes
Ingredientes do Cozido de Legumes
  • 1kg de peito bovino com osso*
  • 1 paio
  • 6 batatas baroa (ou qualquer uma de sua preferência)
  • 4 folhas de couve
  • 1/2 abóbora ou moranga**
  • 1/4 de repolho
  • 1 nabo
  • 1 espiga de milho
  • 1 tomate
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 1 1/2 litro de caldo de carne
  • 1 colher das de sopa de curry
  • 1 colher das de sopa de colorífico (opcional, serve apenas para dar cor ao caldo)
  • 2 colheres das de sopa de óleo de girassol
  • 1/2 maço de salsinha
  • Sal e pimenta à gosto

* Eu recomendo o peito bovino por ser uma carne bastante saborosa e rica em gordura que vai fazer o engrossar e dar mais sabor ao caldo do cozido. Mas você pode usar qualquer carne de sua preferência se tiver ciência que o resultado não será o mesmo. E recomendo que seja com osso pois poderá utilizá-lo para fazer seu próprio caldo de carne, mais saboroso e também mais saudável.

** As quantidades de legumes mencionadas servem apenas para dar parâmetro ao que foi feito e apresentado nestas fotos. Você pode usar os legumes de sua preferência ou nas quantidades que melhor lhe aprouver.

Como fazer

Frite as carnes cortadas em pedaços grandes
Frite as carnes cortadas em pedaços grandes

Numa panela grande você dá uma rápida fritada nas carnes cortadas em cubos grandes com óleo de girassol. Tempere com sal e pimenta. Coloque também o paio para refogar. Depois entre com a cebola, o alho e o tomate bem picados e refogue. Quando estiverem bem douradas as carnes, cubra com o caldo de carne já quente e comece o cozimento em fogo médio para alto.

Agora começa o procedimento de cocção dos legumes. Como já é comum para a maioria, você começa sempre dos legumes mais duros e vai acrescentando os mais moles depois, para que tente ao máximo uma textura uniforme deles. Eu comecei com a cenoura, milho e o nabo cortados em pedaços médios. Depois entrei com a batata baroa, ou mandioquinha, e abóbora. Finalizei com o repolho e a couve (esta com as folhas inteiras).

Vá entrando com os legumes conforme a sua consistência
Vá entrando com os legumes conforme a sua consistência

Vá cobrindo com o caldo pois ele irá reduzindo com o passar do tempo, e coloque o curry e a o colorífico assim que terminar de colocar os primeiros legumes. Corrija sal, pimenta e curry se necessário no decorrer do processo.

Hora do sacrifício: cozido de legumes com pirão
Hora do sacrifício: cozido de legumes com pirão

Cozido pronto, eu faço da seguinte forma: retiro as carnes e os legumes com uma escumadeira e sirvo em uma tijela. No caldo restante da panela eu vou adicionando farinha de mandioca moída fina, aquelas tipo sertaneja, e fazendo um pirão, adicionando também um pouco de salsinha picada. A consistência do pirão também vai conforme o seu gosto, não gosto dele muito duro, então uso mais caldo do que farinha. Bom apetite!

 

Entreveiro de Pinhão: pra aquerenciar os desgostos de Agosto

Agosto vêm dando um “Oh! de casa!” neste mundão véio sem porteiras trovejando intempéries. Baita tempo grongueiro de frio e chuva congela o Sul brasileiro castigando os mais teatinos, abrindo cancha pra alimentos que aquentem o coração. Já não hay pelego o suficiente que esquente e o sombreiro já desagua em mangas de tempo feio, surge o tropeiro que toreia o pampa dentro de cada um de nós.

Entreveiro, iguaria tropeira.
Entreveiro, iguaria tropeira.

Aos tropeiros é atribuída a invenção do Entreveiro, comida típica serrana que sofrenou as invernias machaças quando estes tauras carregavam mulas até Sorocaba em suas comitivas e voltavam de lá tropeando saudades. Estes homens, que faziam dos arreios as suas vidas e dos corredores e picadas as suas moradas, contadores de luas, sabiam que quanto mais se agranda a alma mais se apequena a estrada. E bastava uma manta de charque, linguiça cortada na faca, pinhões e umas especiarias pra se montar uma bóia campeira que traduzia no estômago os anseios da alma.

Ceva teu mate, aquieta a cambona na trempe e vamos fazer um Entreveiro típico serrano!

Ingredientes

Ingredientes para o Entreveiro
Ingredientes para o Entreveiro
  • 1/2kg de carne de gado (a sua escolha)
  • 1/2kg de carne de porco
  • 300g de linguiça calabresa
  • 200g de bacon
  • 1kg de pinhões cozidos
  • 2 cebolas pequenas
  • 6 dentes de alho picados
  • 1 pimentão amarelo picado (ou o que você preferir)
  • 2 tomates picados e sem semente
  • Sal, azeite e pimenta

Como fazer

Primeiro você precisa descascar os pinhões cozidos. É um trabalho chato, mas precisa ser feito. Depois corte eles ao meio ou em pedaços menores caso prefira.

Entreveiro é uma comida que precisa ser preparada com um fogo um tanto quanto forte e numa panela de ferro grande, ou disco, ou até uma Wok média. A idéia de disco/wok é pra você ir colocando pro lado o que já foi refogado e não deixar queimar nada, mas também não perdendo o sabor desse processo.

Não tem segredo nenhum, mas não é bonito ver um bacon refogando?
Não tem segredo nenhum, mas não é bonito ver um bacon refogando?

Então refogue o bacon com um fio de azeite. Depois vá acrescentando as carnes, eu comecei pela carne suína, depois fui para a linguiça e a carne de gado. Temperei com sal e pimenta. Abri espaço na Wok, coloquei as carnes para as laterais e refoguei uma das cebolas picadas, pimentão e alho.

Carnes
Carnes

Junte novamente as carnes e termine de refogar tudo. Feito isso, adicione os tomates picados e a outra cebola cortada em tiras. Deixe cozinhando um pouco, o processo é um pouco lento mas compensador.

Por último, acrescente os pinhões, deixe de terminar o cozimento das carnes e sirva com arroz branco!

E tá feito o carreto!