Arquivo da tag: filadelfia

Yakisoba da Ponte agora tem Sushi, Sashimi e Temaki!

É desnecessário dizer que o Carlos e sua equipe fazem no Yakisoba da Ponte uma das melhores comidas de rua que São José já viu. Com a receita sendo aprimorada há anos e com o pessoal altamente qualificado trabalhando tanto na chapa quanto na pré-produção, o Yakisoba tradicional e o especial com molho teriyaki dão um show nos quesitos sabor e qualidade.

yakisoba-sushi-frente

E só quem tem autonomia e segurança pra continuar melhorando o que já é bom se arrisca na diversidade dos pratos onde as culinárias são relacionadas de alguma forma. Ainda servindo o melhor da comida oriental, o Yakisoba da Ponte agora traz novidades no seu cardápio. Isso mesmo, há duas semanas naquele ponto informal porém aconchegante da Av. Presidente Kennedy a casa agora oferece Sushis, Sashimis e Temakis.

Estive lá na última semana pra conferir e provar os novos pratos. Enquanto Carlos foca suas atenções no Yakisoba, é o chef Jeferson Torres quem prepara os sushis, com uma excelente bagagem profissional acumulada na sua trajetória pelo ramo em Floripa.

yakisoba-sushi-enrolados

Experimentei todos os pratos da casa. Primeiro os sushis enrolados, como não poderia deixar de ser. Por ser um food truck e pra garantir o frescor e a qualidade, eles apenas trabalham com o salmão, que é o queridinho e unanimidade por aqui. Foram servidos os uramakis Filadélfia (salmão com cream cheese), patê de salmão e kani kama. Os hossomakis seguem os mesmos sabores: kapa maki (pepino), kani e salmão. Todos provados e aprovados.

yakisoba-sushi-nigiri-dyo

Depois foi a vez dos Nigiri e dos Djow (djoe, joe, dyo, cada restaurante chama de um jeito). Os nigirizushi estavam deliciosos. Se você tiver a oportunidade, peça a versão com geléia de pimenta oriental por cima. Dá um toque todo especial no sushi. Outra sugestão que eu dou é experimentar o djow maçaricado, é uma experiência interessante o sabor do peixe cru por dentro e levemente cozido por cima. Quase um tataki de salmão enrolado.

yakisoba-sushi-temaki

Os temakis também estão presentes no novo cardápio do Yakisoba. O Temaki Filadélfia deles é de dar inveja! Bem recheado, sem miséria de peixe e com cream cheese, cebolinha à gosto do freguês. Pode pedir sem, é claro, mas acho que dá um toque todo especial. Há inclusive o cuidado de mandarem na mesa, além do potinho e a garrafinha de shoyu, o molho num sachet pra que você consiga temperar o seu temaki de maneira adequada.

yakisoba-sushi-sashimi

Se o peixe é fresco e o chef é bom, o Sashimi não teria como ser diferente. O segredo desta iguaria é o peixe não ter sido congelado e o tamae-san saber cortá-lo. Acho que a foto é autoexplicativa, mas cabe dizer que salmão cru é uma das iguarias onde a cocção não melhora o prato. Shoyu dos bons e wasabi à vontade pra temperar bem o seu peixe.

Há também uma coisa que eu acho extraordinária nos sushis: os hots. Eles são ótimos pra levar algum amigo com quem você deseja dividir uma refeição mas por algum motivo não curte o sabor do peixe cru. Hot sushi é inclusivo e agregador.

yakisoba-sushi-hotroll

Este até o Everton, co-autor deste blog e que não curte muito comida japonesa crua, se esbaldou.

Experimentou o hotroll filadélfia, que é o mesmo uramaki filadélfia empanado e frito. E não é hotroll se não vier acompanhado de tarê, um molho feito à base de shoyu muito delicioso e que acompanha bem as frituras.

yakisoba-sushi-hottemaki

Outra gordice fritura que adorei foi o Hot Temaki. Mas ao invés de pegar os rolls e colocarem como recheio de um temaki normal, o chef empana e frita ele inteiro. Daria pra dizer que é uma espécie de cozinha ajaponezada de peixe. Uma delícia. Fritura é sempre boa!

O drama maior é: experimentar um pouco disso tudo sem sair rolando. Embora comida japonesa seja leve e boa pra quem briga com a balança, os sushis todos são bem servidos e vendidos em porções com 8 unidades. As fotos dão bem a dimensão da coisa toda, dá pra comer sem gastar muito e sair bem satisfeito.

Vale a visita! Comer sushi sem a necessidade dos protocolos de um restaurante comum pode ser uma experiência bastante interessante, ainda mais quando o produto é de qualidade!

* Este é um review publieditorial. Ele expressa a opinião do autor.

Yakisoba da Ponte

  • Av. Presidente Kennedy, 789. Campinas, São José/SC.
  • Aceita cartões
  • Estacionamento
  • Wifi

Sushinami: a esperança é um prato que se come cru

Ah, este pequeno bolinho de arroz envolto de ômega 3 no estilo americano de enxergar os nipônicos, embora saibamos que isso possa ser historicamente um grande erro… Ah, iguaria tão deliciosa e tão compatível com quase todas as dietas para redução de peso… Ah, salgado shoyu que tempera este controverso quitute e nos eleva a pressão arterial… Que jamais nos cansemos de procurar novos lugares para degustá-lo, ainda que esta batalha diária seja muitas vezes frustrante e nos deixem mais longe do primeiro milhão. Que jamais desistamos frente à camarões mal cozidos, peixes velhos e atendimento vergonhoso. Que nunca esmoreçamos face a qualquer imprevisto, visto que a perseverança é um prato que se come cru.

sushinami-ambiente

Só me arrisco de poeta neste post que ora começa porque sei que a risada tende a ser boa. E o review é positivo, por supuesto. Embora este seja um grande spoiler do modelo tradicional de reviews, onde a conclusão vem só lá no final, numa obrigação religiosa de ler todo o meu emaranhado de baboseiras que este postulante a crítico de gastronomia, que da Michelin a única semelhança é a forma de pneu de uma 1313 8 marchas, te poupará saber que a poesia quase orgástica acima sem qualquer redondilha na métrica inexistente já é um convite para conhecer o Sushinami.

Falando sério agora, visitei dia destes o Sushinami. Não antes sem receber pelo menos uma dúzia de recomendações dos leitores aqui do blog para conhecer esta “nova” casa. Das indicações que me recordo, a Juliana, a Sandra e a Gabriela disseram, com outras palavras mas com a mesma idéia, que a cara era excelente. Eu que não sou besta de perder, fui. E me dei bem.

No Sushinami não há rodízio, o serviço é todo à lá carte. Se por um lado alguns acham que isso encarece o serviço, posso lhes garantir que aumentam as chances de a experiência ser bem sucedida. Não há porções reduzidas, produções em massa, pré-preparos exagerados que diminuem o frescor dos alimentos, enfim… A lá carte já foi sinônimo de caro, o que neste caso não é uma verdade. No fim das contas o valor para sair de lá mais que saciado é até menor que um rodízio. Creia. Um dos pontos da casa: preços honestos. Não há vista pro mar, não há rua badalada, não tem nada de especial e irrelevante que encareça a visita.

sushinami-missoshiro

Comecei os trabalhos com Missoshiro. Esta singela e saborosa sopa a base de pasta de missô e com pedaços de tofú (não é qualquer tofú, é um queijo de soja mais elaborado, segundo o garçom) dá aquela rejuntada no estômado para o que virá a seguir e pra esquentar o corpo num contraponto com a chuva e o frio sulista nessa época do ano.

sushinami-yakissoba

A Aline não quis sopa mas pediu um Yakissoba de carne. Muito saboroso, bem proporcional nos ingredientes e molho como poucos na cidade, e bem servido. Já não seria perdida a viagem se fôssemos só para comê-lo.

sushinami-uramaki-rainbowl

Em seguida recebemos o Dragon Rainbowl, um dos uramakis especiais do cardápio. São 8 peças de de uramaki filadélfia envoltos por salmão, atum, peixe branco e camarão. Sushis saborosos e muito bem elaborados, com as coberturas dos uramakis fazendo uma espécie de “meio-a-meio” entre os peixes citados.

sushinami-nigiri-peixe-branco

Juntamente com eles vieram os nigiris de peixe branco, com finas fatias de limão dando um toque bastante interessante, como já é comum nas casas orientais, e também os Dyo (FINALMENTE ALGUÉM ESCREVEU CERTO NO CARDÁPIO!!!! GLÓRIA ALELUIA!!) Salmão Spice. Devia estar inspirado nesta noite, quase todos os pedidos envolveram pimenta.

sushinami-uramaki-salmao-spice

Por falar em pimenta, também comi os uramakis Salmão Spice. São uramakis que além do tradicional filadélfia e cebolinha, ganham também a pimenta japonesa.

sushinami-temaki-hot-ebi

Como não estou podendo comer frituras, a Michele experimentou e aprovou o Temaki Hot Ebi, que é um temaki tradicionalmente feito com alga e arroz, com recheio de camarões empanados e fritos com molho teriyaki e cebolinha. Diz ela que estava uma delícia, eu confio.

sushinami-hot-roll

O Hot Sushi Filadélfia também estava lindo uma barbaridade, pelos mesmos motivos eu não comi, mas o Guilherme o fez por mim e também largou o seu jóinha.

O atendimento também se mostrou bastante eficiente, com todos os pedidos vindo de forma tranquila e sem problemas. Gentileza e hospitalidade, num ambiente pequeno mas muito aconchegante, que tornarão certamente o Sushinami um porto-seguro de olhos puxados para se voltar mais vezes.

Sushinami

  • Rod. Antônio Amaro Vieira, 2122. Itacorubi, Florianópolis.
  • (48) 3233-6784
  • Segunda à sábado, das 19 às 23h.
  • Estacionamento, aceita cartões.

 

 

Jun Temakeria: separando os homens dos meninos

O sushi definitivamente caiu nas graças do consumidor. O aquecido mercado da culinária japonesa abre e fecha restaurantes com um piscar de olhos, mas o saldo da balança ainda é positivo: mais restaurantes fazem sua clientela do que restaurantes nos deixam órfãos de suas cozinhas.

jun-temakeria-entrada

O grande segredo, talvez, seja aproximar os sabores e trazer pro Brasil não só os que os americanos entendem por sushi, mas criar em cima das infinitas combinações possíveis usando ingredientes conhecidos e exóticos, oferecendo qualidade nos produtos e garantindo, sobretudo, o sabor da comida.

jun-temakeria-cozinha

A Jun Temakeria entendeu bem o recado e apesar de carregar este nome, é uma casa de sushis completa. Precisei de pelo menos três visitas à Jun para entender isso, conhecer e explorar um pouco do cardápio e, de quebra, ainda tive oportunidade de conhecer novidades que farão parte da carta para a próxima estação. Gostei de tudo o que comi, saí todas as três vezes empolgado com o que foi servido e tende, num futuro próximo quando sair a nova edição do TOP 5 Sushi de Florianópolis, brigar por uma posição na minha seleta lista de restaurantes japas.

jun-temakeria-cardapio

Todo o serviço é à lá carte, nada de rodízio. O atendimento é bom, mesmo com a casa lotada, e funciona sem problemas. Desde a recepção para aguardar uma mesa até o final dos três jantares tudo correu na mais perfeita ordem. O ambiente é pequeno, o que não desabona. Ganha por ser aconchegante e tranquilo, principalmente o piso superior do pequeno centro comercial localizado na rua geral de Coqueiros.

jun-temakeria-tataki-salmao

Mas vamos falar de comida que é o que interessa. Pra começo de conversa, experimentei, me apaixonei e recomendo por este Salmão Tataki (R$22). São 200g de sashimis de salmão selados, fatiados e servidos com molho tarê e gergelim. Uma delícia em textura e sabor.

jun-temakeria-sashimi-anchova-negra

Outra iguaria que gostei muito e que foi a primeira vez que experimentei, foi o Sashimi de Anchova Negra (R$28). É muito similar àquele sashimi que há muito tempo postei por aqui, o sashimi de haddock defumado. É, porém, mais suave e na minha humilde opinião bem mais saboroso.

jun-temakeria-barco1

Nos uramakis (sushi com alga pra fora), gostei bastante do Filadélfia Dragon Skin (R$14, 8un.), que além de creamcheese acompanha salmão cru e pele de salmão frita; o “Jow” Atum com Shimeji (R$6,50, 4un.), atum, cream cheese e cogumelos shimeji por cima. Aproveita o barquinho este camarão empanado em farinha panko e uma pasta de cream cheese e pimenta.

jun-temakeria-barco2

E ainda tinha mais: “Jow” Caprese (R$12, 4un.), que é um dyo com cream cheese, tomate cereja, uma folha de manjericão e azeite de oliva virgem envolto em uma fatia de salmão; “Jow” de Salmão com Camarão (R$10, 4un.), um dyo normal de salmão mas coberto com três camarões cozidos; hossomakis de salmão (R$9,50, 8un.) e kani (R$8, 8un.).

jun-temakeria-uramaki-sem-alga

Pra fechar o carreto, conheci estes uramakis sem alga (cortesias). Isso mesmo, sushi sem alga por fora ou por dentro, recheado com camarões e cream cheese e cobertos por uma fatia de camarão e flocos de arroz. O que aparece no fundo é de salmão e molho pesto, um sabor que eu jamais imaginaria que combinasse no paladar. Ambos muito deliciosos, e que devem entrar no próximo cardápio de verão da casa.

As contas das três visitas variaram bastante, por isso coloquei os valores individuais dos pratos que paguei. O preço é bom, apesar de não ter rodízio, come-se bem e paga-se o justo pelo que é servido, e muito bem servido. Bora lá?

Jun Temakeria

  • Rua Engenheiro Max de Souza, 1302. Coqueiros, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3207-4933
  • Horário: de segunda à sábado, das 18h à 0h.
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento: sim
  • Wifi: sim

Como fazer Hot Sushi Filadélfia

É engraçado ver sushi frito. Engraçado, digo, porque é irônico. O sushi foi inventado por acidente, a história nos conta que o surgimento desta iguaria data de cerca de 400 anos antes da data que atribuem a Jesus Cristo, então a quase dois mil e quinhentos anos atrás descobriram que o arroz quando cozido libera ácido láctcito e acético que juntos têm efeito de conservação do peixe. Por isso, colocavam os peixes em camadas grossas de arroz para transportá-lo de um lado para o outro. Imagino que naquela época a Iveco ainda não era sucesso no Japão. E onde entra o Hot Sushi Filadélfia?

É também sabido que nem todo mundo gosta de peixe cru, sushi é aquela coisa de ame-o ou deixe-o, já falei isso tantas vezes aqui. Qual a saída encontrada? Fritar o sushi. Então você cozinha o arroz, enrola em volta do peixe com uma folha de alga, chamada nori, que em tese servia para conservação e depois COZINHA o bicho. OK, a gente faz isso com o charque e ninguém enche o nosso saco.

Hot Sushi Filadélfia
Hot Sushi Filadélfia

Vamos aprender a fazer hot sushi filadélfia?

Ingredientes do Hot Sushi Filadélfia

  • 1 xícara de arroz para sushi
  • 1 xícara de água1 colher de chá de sal
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 2 colheres de sopa de vinagre de arroz
  • 200g de salmão em fatias finas
  • 3 folhas de alga (nori)
  • 100g de cream cheese de sua preferência (o Philadelphia é melhor, fato)
  • 1/2 xícara de cerveja gelada (usamos Heineken)
  • 8 colheres de farinha de trigo
  • Óleo de girassol para fritar

Como fazer

Se você se recorda da minha receita de como fazer sushi, feita de forma bruta e rústica, pode seguí-la. Em tese grande parte do processo é fazer o sushi normalmente até a hora de empaná-lo.

Arroz

Fazer o arroz para sushi demanda uma certa perícia e muita, muita paciência. Primeiro você precisa lavá-lo quantas vezes forem necessárias para que a água saia tão limpa quanto entrou no recipiente que usou para isso. Depois é necessário que ele fique de molho na água por 30 minutos.

Temperando o arroz para sushi, o shari
Temperando o arroz para sushi, o shari

Depois disso você coloca ele numa panela para cozinhar em uma xícara de água até levantar fervura em fogo alto. Baixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar por mais 15 minutos. Desligue o fogo e deixe este arroz descansar, coloque um pano em cima por 10 minutos. Depois você coloca ele numa travessa ou algum pote para que ele esfrie bem, pode pedir ajuda de um ventilador para tal.

Faça uma mistura com o vinagre de arroz, o sal e o açúcar e comece a despejar lentamente por cima desse arroz, mexendo sempre para que cada parte dele seja bem temperada. Agora mexa até o arroz esfriar completamente e cubra-o com um pano úmido até a hora do preparo do sushi.

Enrolando o sushi

Pra isso você vai precisar daquelas esteiras já conhecidas, usadas pra fazer sushi. Você pode forrá-la com um plástico culinário, eu particularmente odeio aquele negócio, mas facilita bastante o trabalho e não deixa o arroz grudar.

Enrolando o sushi
Enrolando o sushi

Deixe a folha de nori na esteira com a parte fosca pra cima. Umedeça as mãos com água para que não grude e vá despejando arroz por cima da alga, amassando bem, deixando uma parte da folha vazia, algo em torno de dois dedos.

httpv://www.youtube.com/watch?v=swGJ2dIu9XE

Em seguida coloque o salmão cortado em tiras transversalmente por cima do arroz, faça o mesmo com o queijo cremoso. Pegue agora a esteira e vá enrolando, apertando bem para que ele não desmonte. O vídeo acima auxilia bastante neste processo caso não tenha a mínima noção do que eu estou falando.

Empanando o sushi

Num recipiente, misture a cerveja gelada com 6 colheres de farinha de trigo. Num outro, deixe as outras duas colheres de farinha de trigo. Passe o rolinho na farinha seca e depois nesta pasta de farinha e cerveja.

Fritando o sushi

Agora esquente bem o óleo de girassol numa frigideira funda e frite bem os rolinhos, até começarem a ter uma cor mais dourada.

Fritando o sushi
Fritando o sushi

Retire os rolinhos da frigideira, corte ele em dois, depois em quatro e finalmente sirva as oito peças de hot filadélfia. E seu hot sushi filadélfia está pronto.