Arquivo da tag: funghi

Moeda Bar e Restaurante: um almoço regado à história de Porto Alegre

A Praça da Alfândega, em Porto Alegre, aporta algumas construções antigas e historicamente bonitas. Além do MARGS, o Museu de Arte, e do Memorial do Rio Grande do Sul, ali também está outro Patrimônio Histórico do estado, o prédio que hoje pertence ao Santander Cultural.

Santander Cultural
Santander Cultural

São quase 6 mil metros quadrados de imponência e beleza que oferecem além de um ponto turístico importante pra quem visita a cidade, exposições de arte, shows de música e uma gastronomia exemplar. Isso porque no subsolo do prédio, onde ficavam os antigos cofres do Banco do Comércio, instituição financeira que inaugurou-o, um bar e um restaurante que proporcionam uma experiência gastronômica fantástica.

Exposição de arte no Santander Cultural
Exposição de arte no Santander Cultural

No último sábado ali estive para visitar a Feira do Livro de Porto Alegre e almocei no Moeda Bar e Restaurante. Na oportunidade também conheci pessoalmente a querida Alice Cirne, quem conheci digitalmente há algum tempo. Ela gerencia o restaurante e se não está andando pelo lindo salão, também recebe a quem chega com um simpático sorriso de boas vindas.

Cachacinha pra abrir o apetite
Cachacinha pra abrir o apetite

Alice nos ofereceu um caldinho verde e uma cachacinha, enquanto nos explicava o funcionamento da casa. Pra quem quiser abrir o apetite tem desde uma tradicional Ypioca até cachaça artesanal, passando pelo digestivo Undenberg. E esse é só o primeiro flerte que o Moeda faz conosco.

Pães: que delícia!
Pães: que delícia!

Na mesa, uma cesta de pães variados e manteiga de excelente qualidade estão aguardando pra abrir os trabalhos no almoço. Sabe aqueles pãezinhos que parecem desmanchar na boca? Pois é.

Buffet do Moeda
Buffet de pratos quentes do Moeda

O almoço é servido em um buffet e apesar disso a comida está sempre fresquinha e quente. Isso é garantido pelo sistema de rechaud e pela intensa movimentação do chef em garantir que a comida seja sempre reposta. Começa com uma boa variedade de hortaliças, vegatais e legumes para você mesmo montar a sua salada, com molhos e queijos pra complementar o prato. Segue com os pratos quentes com três opções de carnes, uma massa e guarnições igualmente muito bem preparadas.

Saladinha, pra mostrar que somos saudáveis
Saladinha, pra mostrar que somos saudáveis

Ele é organizado, não costuma ter grandes filas e a experiência na mesa é tranquila. Por ter vários espaços e não ser um salão com muitas mesas, é confortável e permite uma agradável conversa enquanto degusta-se as igurias ali produzidas. A ausência daquele corre-corre típico de buffet permite ainda que você comece com uma salada, troque de prato, experimente outras coisas e assim por diante.

Massa ao molho funghi e maminha no alho: torça pra comer isso!
Massa ao molho funghi e maminha no alho: torça pra comer isso!

Torço muito para que você lendo este post, faça uma visita. E visitando o restaurante seja recebido com esta massa fresca ao molho funghi e essa maminha assada no alho. Imagino que outras delícias sejam servidas ali, mas é sério: torça pra ter essa massa. Não precisa ser viciado em cogumelos que nem eu para querer repetí-la.

Um docinho pra fechar com chave de ouro
Um docinho pra fechar com chave de ouro

E se você acha que a esta altura do campeonato estará totalmente cheio com as delícias do buffet de pratos quente é melhor se programar no início: ainda tem a sobremesa. Além de uma travessa de frutas frescas, doces de que só de lembrar minha boca enche-se de água. Eu fui na torta de limão, é dos deuses. Um saborosíssimo creme no recheio, raspas de limão que compensam a acidez sobre o doce e uma base tipo massa de biscoito muito crocante.

Ambiente limpo, bonito e agradável
Ambiente limpo, bonito e agradável

O atendimento não se fez excelente apenas pelas boas vindas da Alice, durante todo o serviço fomos atendidos com muita gentileza, com as bebidas vindo sem qualquer dificuldade e nossos pratos sendo substituídos e a mesa limpa com frequência.

E toda essa comida, agradável do início ao fim, custou módicos R$27, preço fechado por toda a refeição. Ou seja, você tem acesso às exposições de arte, conhece um prédio centenário no centro histórico e turístico de Porto Alegre e ainda come bem pagando um preço mais que justo. Vale cada segundo da visita.

Em tempo, deixo um agradecimento especial pra Alice que nos recebeu com muito carinho. Obrigado, Alice!

Moeda Bar e Restaurante

  • Endereço: Rua Sete de Setembro, 1028, Santander Cultural. Praça da Alfândega, Centro Histórico, Porto Alegre.
  • Telefone: (51) 3227-8322
  • Horário: De segunda à sexta-feira, das 11h30 às 15h.
  • Aceita cartões: sim
  • Wifi: sim (a Procempa fornece internet livre em toda a praça)

 

Rigatoni ao Molho Funghi e o Dia Mundial do Macarrão

O Macarrão é um alimento mundial. Não há país no mundo em que ele ainda não tenha sido experimentado ou de alguma forma se faça presente na cultura local. Sabe-se, também, que o Brasil é o terceiro país no mundo a consumir essa massa alimentícia. Mas pouco sabe-se sobre a verdadeira origem pois é difícil precisar. A Wikipedia nos fala em seu surgimento na China no século XIII embora todos achem que ele foi originalmente criado na Itália. O que os italianos fizeram, na verdade, foi difundir o seu uso na gastronomia e criar centenas de padrões e tipos de massas. Não é a toa que os nomes das massas são em italiano: penne, spaghetti, fusili, fetuccine etc.

E hoje, 25 de outubro, é comemorado o Dia Mundial do Macarrão. Isso porque nesta mesma data no ano de 1995 aconteceu o I World Pasta Congress, o primeiro congresso mundial da massas na cidade de Roma. E para comemorar a data o Comideria e um grupo de blogueiros amigos fizemos uma receita de macarrão de nossa preferência, e que você vai acompanhar na sequência.

Rigatoni ao molho funghi
Rigatoni ao molho funghi

Escolhi o rigatoni pois é originalmente um tipo de macarrão. Embora nós já tenhamos o hábito de chamar todos os tipos de massas de macarrão, o macarrão por essência é feito nesse formato de tubos, geralmente curtos. Mas é só uma frescura minha, o que vale é fazer macarrão. E escolhi os cogumelos secos e frescos porque é o meu molho preferido. Eu sou do grupo dos gordos que prefere o molho branco. Vamos a receita!

Ingredientes

Corte os cogumelos em tiras e a cebola bem picada
Corte os cogumelos em tiras e a cebola bem picada
  • 500g de rigatoni grano duro
  • 25g de funghi secchi
  • 200g de shitake fresco
  • 100g de shimeji preto fresco
  • 1/2 cebola
  • 200g de creme de leite fresco ou nata
  • 50g de queijo pecorino (queijo de cabra)
  • 100g de manteiga
  • Sal, noz-moscada e páprica picante à gosto

Como fazer o Rigatoni ao molho funghi

Meia hora antes de começar a preparar a receita, hidrate o funghi secchi num recipiente com 1 litro de água.

Numa panela grande comece a ferver 3 litros de água com uma colher das de sopa de sal fino ou duas de sal grosso.

Enquanto isso numa frigideira derreta a manteiga e refogue a cebola bem picada. Corte os shitakes e o funghi secchi hidratado em tiras. Já o shimeji você retira aquele “bulbo” central e separe os cabinhos.

Uma frigideira grande ajuda bastante nesse processo
Uma frigideira grande ajuda bastante nesse processo

Acrescente os cogumelos frescos e deixe começar a puxar na manteiga. Quando começarem a ficar dourados, coloque um pouco de sal e experimente. Lembre-se que o funghi secchi já tem um gosto bastante forte, então não convém salgar completamente agora. Escorra bem os cogumelos secos e coloque na frigideira. Refogue mais um pouco e veja se precisa acertar o sal, coloque o quanto você goste de páprica picante e noz-moscada.

Cogumelos já refogados
Cogumelos já refogados

Nesse momento eu coloquei o macarrão na panela para cozinhar. Na caixa do produto indicava 11 minutos de cocção, então calculei que tanto o macarrão e o molho estivessem prontos na mesma hora, mas fique tranquilo, importante é não deixar o macarrão passar do ponto. Se for o caso, na sequência da receita, diminua bem o fogo do molho para que eles cheguem juntos até o final.

Molho pronto
Molho pronto

Com os cogumelos refogados, e reduzidos (você vai notar que eles murcham uma barbaridade), adicione a nata ou o creme de leite fresco. Mantenha em fogo médio para que não talhe o creme de leite e nem que fique frio/cru, controle o suficiente para cozinhá-lo um pouco. Para finalizá-lo, rale um pouquinho do queijo pecorino, algo como uma colher das de café, misture bem e está pronto.

Agora você escorre bem o macarrão que al dente está cozido e traga para a frigideira onde vai anexar o molho. Caso você não tenha uma frigideira bem grande, faça o inverso: escorra o rigatoni, volte à panela do cozimento e leve até lá o molho.

Misture bem o macarrão e o molho com fogo baixo e sirva em seguida com um pouco de queijo de cabra ralado por cima.

E aí, curtiram a receita? Bora fazer?

Aproveite e veja também as receitas desta postagem coletiva feita pelos meus colegas blogueiros: