Arquivo da tag: lanche

BB King Blues & Bauru: conhecendo comida de verdade

Na última vez que saí de casa pra comer, também com intuito de gerar material pro blog, prometi dar uma basta nessa palhaçada que tá virada a gastronomia nessa cidade. Sentei em três restaurantes diferentes até achar algo que prestasse, não tivesse um nome afrescalhado e não custasse o equivalente a uma experiência no metrício.

A gota d’água foi quando abri um cardápio e olhei um risoto por 85 reais. Levantei-me com parcimônia e saí sem sequer agradecer quem atendeu. Deu, né, chefinhos? Tá ficando ridículo pra cara de vocês. A comida tá cara mas arroz continua custando menos de 10 reais um saco com 5kg. Se a trufa tá cara vá pro diabo que te carregue com ingrediente da pátria que não te pariu.

Por isso demorei em postar novamente, foi mais de mês em branco por conta disso. Aproveitando o pleito que se avizinha, faço uma promessa de campanha: só divulgo agora comida de verdade. Pode ter ingrediente afrescalhado, mas vai ter que forrar o buchinho e não esvaziar a guaiaca.

bb-king-blues-bauru-entrada

Até que ontem encontrei comida de verdade. Até certo ponto ogra, confesso, comida pra leão, mas honesta e muito boa. Conheci na Trindade o BB King Blues & Bauru. Bauru é tipo xis, instituição gaúcha. E o bar que homenageia grandes ídolos da música em seus pratos tem na gastronomia portoalegrense suas raízes.

O cardápio é enxuto como todo com menu deve ser, fácil de escolher e entender. Tem bauru no prato (filé mignon ou frango grelhado com molhos e outros ingredientes) mais batata, arroz e salada de acompanhamentos. Tem também o baurú no pão, o mais famoso. Alguns aperitivos pra quem quer só sentar, ouvir boa música, tomar uma cerveja e petiscar um ovo de codorna ou uma tábua de frios, embora o cheiro que emana da cozinha convida sempre pra um bom filé.

bb-king-blues-bauru-refri-cerva

Aliás, os gaúchos desgarrados, boa parte da população da Ilha, podem não só rememorar sua comida como também a casa oferece cerveja Polar e Fruki, outras duas instituições gaúchas, assim como o Gengibirra está pra Curitiba e a Pureza pra Santa Catarina. #fikdik

bb-king-blues-bauru-cervejas

Além disso uma geladeira forrada com vários rótulos de cervejas especiais, pra quem vai nessa vibe.

bb-king-blues-bauru-no-pao

Meus amigos velhos de guerra foram de baurú no prato. Foram no My Lucille com ovo frito. Pão de trigo, filé mignon grelhado, queijo, presunto, alface e tomate. Refeição balanceada que os nutricionistas insistem em não incentivar, afinal tem salada, proteína, carboidrato e uma meia pataca de gordura.

bb-king-blues-bauru-salada

Eu fui nos “baurus no prato”. Esses têm a opção inteira, que serve quatro pessoas, 1/2 porção para duas e a individual que corresponde a 1/4 do tamanho original. Este quarto de prato já é suficiente pra alimentar um leão faminto em época de estio, pois além da carne preparada com os ingredientes correspondente a cada opção, vêm à mesa uma porção de arroz, batatas fritas e uma saladinha verde pra começar.

Já não é novidade para os mais assíduos deste espaço que ando numa fase de comer salada, então prostrei-me à mesa e dei-me à pastar na salada.

bb-king-blues-bauru-arroz-batata

Arroz e batata também perfeitos.

bb-king-blues-bauru-bife-file-mignon

Mas foi na carne que o bicho pegou. Eu escolhi o John Mayal, que era filé mignon à milanesa, queijo, presunto, molho de tomate e molho verde. Era quase uma parmeggiana feita de forma exemplar e muito respeitosa. Saboroso e muito buchisticamente correto.

Paguei 30 pila no meu, com água, porque respeitar a dieta é preciso. Que a minha nutricionista não leia. Que os chefinhos leiam todos e parem de frescura.

BB King Blues & Bauru

  • Rua Lauro Linhares, 1065. Trindade. Florianópolis.
  • (48) 3209-0100
  • Aceita cartões
  • Estacionamento

Cine Burger, um lanche com as bênçãos do Padrinho

E aí, como foi o Natal de vocês? Tudo tranquilinho? Que bom.

Então, no último domingo enquanto a cidade fervia de gente chegando e saindo para a festa cristã mais aguardada do ano, eu tentava me esquivar do stress que é morar na Ilha de Santa Catarina no verão, e com feriadão ainda por cima. Nem queria visitar o supermercado, lotado de nativos e turistas comprando ingredientes para a ceia, nem queria ir nos picos mais badalados pra evitar longas filas de gente ávida por comida.

cine-burger-entrada

Decidi fazer uma visita ao pacato bairro Santa Mônica, vizinho aqui da Trindade, para conhecer o Cine Burger. Há algum tempo atrás, quando abriu, oferecia o delivery como única alternativa. Continua oferecendo, na verdade, mas agora no charmoso Centro Executivo Aldo Kuerten tem uma lojfa física com mesas ao ar livre pra você degustar o melhor do hamburguer florianopolitano.

cine-burger-cardapio

A lanchonete tem a temática do cinema, e cada hamburguer é batizado com o nome de um filme conhecido, onde eles de alguma forma se cruzam seja pelo estilo ou ingredientes do lanche. O Fuga das Galinhas, por exemplo, tem a carne de frango com uma sobrecoxa (desossada, claro) sendo o sabor principal do lanche. Sob o Sol da Toscana traz o estilo italiano e o molho é nada menos que o tradicional pesto.

cine-burger-hamburguer-poderoso-chefao

Escolhi O Poderoso Chefão pelo filme, acredite. Não fiquei matutando nos ingredientes de cada lanche, preferi confiar em Don Vito Corleone antes que ele me tirasse pra Bonasera ou me fizesse uma proposta irrecusável.

O sanduíche é composto por um hambúrguer de contra-filé pesando aproximadamente 120g, coberto com uma fatia de queijo mussarela derretido, presunto crú, rúcula e molho de maionese especial da casa, tudo isso dentro de um delicioso e crocante pão. A carne é excepcionalmente temperada e o sabor do lanche é incrível. Nem seco nem molhado em excesso, bem dosado e todos os ingredientes são bem selecionados. Nota 10.

Para acompanhar esta delícia eu escolhi as Onion Rings. Anéis de cebola empanados e fritos, bem sequinhos e crocantes, e muito saborosos, tal qual o lanche.

cine-burger-onion-rings-chilli-wings

Não queria perder a oportunidade e experimentei também as Chilli Wings. Coxinhas da asa de frango fritas, com uma casquinha crocante que só experimentando pra saber quão boa é. Lembre-se que ela é levemente apimentada, tem um sabor marcante e um início picante. Vale a pena experimentar.

O atendimento da casa é bom. Todos os pedidos vieram sempre corretamente, a mesa era limpa com frequência e me senti bastante à vontade.

O preço? Honesto. O lanche custou R$19, as Onion Rings módicos R$5 e as 6 Chilli Wings pela bagatela de R$9,90.

Vale a visita!

Cine Burger

  • Endereço: Av. Madre Benvenuta, 1168. Santa Mônica, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3028-6331
  • Horário: de terça a domingo, das 18h às 0h.
  • Aceita cartões: sim

Personal Hot Dog: novo conceito de cachorro-quente

No sábado, 19 de fevereiro, aproveitamos que o fim do horário brasileiro de verão nos daria uma hora a mais e fomos a Samantha, o Veber e eu até o Personal Hot Dog em São José.

Quando você faz o pedido você já começa a entender o nome da marca: no seu cadastro que é vinculado ao seu telefone, o sistema deles anota o teu nome e vincula o teu primeiro pedido. Se você simpatizou com a escolha do lanche e quiser repetí-la pedindo tanto via tele-entrega ou ir até a lanchonete novamente, basta dizer seu telefone e o nome, confirmando o último pedido. Isso é bem vantajoso para quem retira ou acrescenta ingredientes à sua comida, se livra de ter que pedir ou do atendente errar e te fazer comer aquela ervilha indesejável que você não gosta.

Atendimento e pedido personalizados

O cardápio consiste em sete hot-dogs salgados, três doces e batatas fritas. Cada lanche salgado tem uma temática, como o Gaúcho (linguiça calabresa ao invés de salsicha e molho barbecue/churrasco) e o Russo (com molho de strogonoff). Já experimentei quase todos, visto que sou cliente há algum tempo, e o que mais gostei foi o gaúcho (e juro que aqui não tem nenhum bairrismo velado, é gosto mesmo pela calabresa frita e o barbecue). Vamos à sabatina:

Ambiente – 10

Ambiente agradável, bonito e limpo.

É climatizado, as cadeiras e as mesas são confortáveis, tem telas de LCD com shows e clipes de música, chão e paredes limpos, não há um cheiro forte de comida, o balcão de atendimento é estilo rede americana de fast-food e mesmo assim conseguem manter organizado. Absolutamente nada a reclamar nas minhas visitas em relação ao environment do local.

Atendimento – 8

Os atendentes são educados, anotam corretamente os pedidos, tratam com respeito e seriedade, são corteses, atenciosos e explicam detalhadamente a diferença entre os lanches e te ajudam na escolha do pedido. Só não leva 10 porque é absurdamente difícil fazer um pedido pelo delivery, não existe uma central de atendimento para atender a demanda que é muito grande, o telefone vive ocupado e você precisa perder pelo menos uma meia hora do seu sábado onde você poderia estar curtindo com a família pra conseguir pedir a comida.

Qualidade da comida – 9

 

O recheio, as carnes, os embutidos, a batata, sempre impecáveis. Só falham as vezes no pão, ou ele tem aspecto de velho ou está muito esfarelado por conta de ter passado demais na hora de “prensar”, o que torna o gosto e a textura um pouco deficientes.

A apresentação e manutenção higiênica do lanche é muito bacana: ele vem numa caixa de papelão lacrado e só você e o chapeiro têm contato com a comida.

Preço – 10

Não é um cachorro quente barato, mas convenhamos, não é um cachorro quente convencional. Um lanche como o Gaúcho, por exemplo, custa algo em torno de R$8, de acordo com o tamanho e a qualidade, acho até bem barato.

Observações:

  • Não tem wifi, ponto negativo.
  • Aceita cartões de débito e crédito.
  • Tem estacionamento próprio para cerca de 8 carros, e estacionamento no perímetro.

Nota média: 9,25.

Dados da lanchonete

  • Endereço: Rua Emerson Ferrari, 28 – Kobrasol – São José/SC
  • Telefone contato e delivery: (48) 3259-0095
  • Funcionamento: de terça à domingo
  • Site: personalhotdog.com.br

Recomendo a visita!