Arquivo da tag: tainha

Tainha, instituição mané: Tainha à moda grega

A Tainha é um peixe cuja família, os mugilídeos, já é conhecida e usada há muito tempo. Desde o Império Romano a tainha é usada na dieta mediterrânea-européia. Aliás, o nome Tainha foi dado pelos gregos que no seu lindo idioma quer dizer “Boa para frigir”. Quando comecei a pesquisar sobre a Tainha pra fazer esta série aqui no blog e li sobre a herança mediterrânea deste saboroso peixe, na hora pensei: preciso falar com a Spiri e o Aurélio.

A Chef Spiri e o Aurélio Baptista, que dispensam apresentações pra quem já está no ramo da gastronomia e acompanha o blog há mais tempo, conduzem juntos o Ilhas Gregas Restaurante, um dos melhores restaurantes de culinária grega destas paragens, um dos melhores restaurantes que já visitei até hoje. Spiri é grega, Aurélio é florianopolitano, e esse casamento que hoje é coroado pela gastronomia tinha que participar da nossa série. Com vocês, um peixe mané, com uma receita à moda grega!

Tainha à moda grega

tainha-ilhasgregas-pronta

Ingredientes

  • 1 filé de tainha
  • 8 colheres de sopa de azeite de oliva (de preferência de origem grega)
  • 1 colher de sopa de suco de limão
  • 1 colher de café orégano (de preferência de origem grega)

Como fazer

Temperar o filé com sal e assar no forno, a 200 graus, por, aproximadamente, 30 minutos.

Molho: Bater o azeite de oliva com um fouet ou garfo, adicionando aos poucos o suco de limão até ficar ficar um pouco esbranquiçado. Por último adicionar o orégano.

Retirar o filé de tainha do forno, ajeitar em uma travessa e regar com o molho.

Enfeitar com rodelas de limão e casca de tomate.

 

Tainha, instituição mané: Tainha em Crosta da Própria Ova de Alysson Muller

O Tartar de Tainha já foi um exemplo disso, mas esta próxima receita que apresentamos hoje comprova que a Tainha é tão versátil, democrática e saborosa que serve até a alta gastronomia. E por falar em gastronomia mané não podemos deixar de lembrar do Alysson Muller, chef do Rosso Restro, restaurante especializado na cozinha regional com um certo tom de sofisticação e que já é roteiro turístico ali nas redondezas de Santo Antônio de Lisboa.

alysson-tainha
Créditos da foto: Luiz Scheidt, Hooly Creative Studio

 

Alysson Muller que além de cozinheiro é colunista de Gastronomia do Diário Catarinense e também apresenta o programa Toque de Sabor que vai ao ar às quartas-feiras na TVCom (Canal 36 da NET e Viamax), programa que este blogueiro que vos fala acompanha religiosamente. Lá já aprendi a fazer bacon com o Chef Guilherme Schwinn e um delicioso Zucotto de Panetone da querida chef Luciane Daux.

A segunda temporada recém começou e já no segundo episódio veja só quem foi a protagonista? Isso mesmo, a Tainha.

httpv://www.youtube.com/watch?v=Nzm9FCWC0p0

A receita que o Alysson nos enviou é o Filé de Tainha em Crosta da Própria Ova, um clássico do Rosso Restro e que ele compartilha não só conosco como também no seu programa, onde você pode acompanhar a receita no vídeo acima.

Ingredientes

  • 1 Filé de Tainha fresca
  • Ovas da mesma tainha
  • Manteiga
  • Sal e pimenta à gosto

Como fazer

Pegue filé de tainha gritando de frescas e tempere com sal e pimenta e reserve. Pegue a ova da mesma tainha e retire sua polpa da membrana. Misture com a polpa um pouco de manteiga clarificada, sal e pimenta e misture tudo até ficar homogêneo. Agora coloque uma fina camada por cima do filé.

Leve ao forno a 200 graus e asse até dar uma leve dourada. É só servir com aquela caipirinha de limão de peixe.

O toque ta dado e a ova tem que vir de dentro da tainha e não do freezer do peixeiro o mó quiridu

alysson-crosta
Créditos da foto: Luiz Scheidt, Hooly Creative Studio

Como o Alysson sempre diz: o toque tá dado?

Tainha: instituição mané – Tartar de Tainha do Vitor Gomes

A tainha é um peixe muito versátil. Desde as preparações mais típicas como já vimos aqui as receitas de tainha assada até as mais elaboradas e até certo ponto diferentes, como o Tartar, ou tartare.  Este prato que começou a ser produzido no século XX por alguns restaurantes franceses e que era a base de carne (steak tartar) já ganhou inúmeras adaptações e hoje teremos o símbolo do nosso inverno neste prato.

tartar-tainha-ingredientes

Quem nos traz a receita de Tartar de Tainha com Manga é o Chef Vitor Gomes. Falar de gastronomia em Florianópolis e não lembrar de Vitor Gomes é como passar incólume à Torre Eifel numa visita à Paris. Então nada mais justo que convidar o chef do Ponto G Gastronomia e do Ponto G Brasa & Fogão para nos mostrar como gosta de preparar este peixe saboroso da costa catarinense.

tartar-tainha-vitor-gomes

Para mim, um peixe festivo acima de tudo! Peixe de época, que anuncia anualmente a chegada do frio, do inverno! Muitas vezes desprezado ou mal entendido, pois se trata de um peixe gordo, e muitas vezes mal preparado!

Os ingredientes são:

  • 1 Filé de tainha fresco
  • 1 Manga
  • Azeite, suco de um limão, sal e pimenta à gosto

Como fazer o Tartar de Tainha e Manga

tartar-tainha-peixe

Limpe os filés de tainha, retirando toda parte escura da carne e corte em pequenos cubos. É importante não deixar nenhum pouco de gordura para que o sabor fique mais leve.

Em um bowl junte os cubos de tainha, 10 % da quantidade de manga cortada em cubos, e tempere com sal, pimenta, suco de limão e azeite de oliva.

tartar-tainha

 

Misture tudo muito bem e com o auxilio de um aro disponha no centro de um prato. Sirva com um bouquet de salada, ou ainda com torradinhas. Bon Appetit!

Tainha: instituição mané. Está aberta a temporada!

Quem já esteve numa das praias de Florianópolis numa manhã ensolarada de inverno deve ter visto um velho, com a barba por fazer, chapéu tapeado na cabeça, um Hilton longo aceso na boca e o olhar fixo na arrebentação.  Onda após onda a esperança de ver uma mancha grande escura sob as espumas de sal do mar se aviva, principalmente se na noite anterior o vento Sul assobiou nas frinchas das janelas dos ranchos. Botes que carregam o nome de suas lembranças e homenagens parados sobre toras, e carregados com suas intermináveis redes, esperando a manta aproximar-se. Esperando, sobretudo, aquele mesmo velho, de barbas brancas, abrir o peito num grito de “CERCA!” É quando os pescadores entram no bote e se jogam na praia pra cercar o peixe. É mais um lanço que entra pra contabilidade deste abundante pescado que chega às toneladas abrindo oficialmente a temporada de inverno em Santa Catarina.

Barco Saragaço I aguardando a tainha chegar
Barco Saragaço I aguardando a tainha chegar

A Pesca da Tainha, assim mesmo com letras maiúsculas, é uma instituição mané. Não há no litoral catarinense quem não busque um quinhão destes cardumes, seja pra consumo próprio, seja pra venda local ou pra indústria. A tainha é um dos mais versáteis peixes, e embora seu nome venha do grego e signifique “Boa para frigir”, ela é servida de várias formas e adaptada em várias gastronomias, muito além do tradicional “tainha escalada com pirão d’água”.

tainha-instituicao-mane-tarrafa-canal

Apesar de ser um ícone catarinense, a Tainha nasce no Rio Grande do Sul, e durante sua primeira fase de vida sobe e desce a Lagoa dos Patos para se alimentar e desovar até que fique adulta. Quando esse tempo chega, e o frio castiga as águas do sul do mundo, as correntes atlânticas a puxam para cima em busca do conforto das águas mais quentes. Grande parte delas fica por aqui, a cada inverno toneladas delas são capturadas e vendidas para todo o país. As ovas, iguaria que hoje é muito valorizada, seja para o consumo direto ou para a fabricação da famosa bottarga di muggine, tem destaque na gastronomia e economia local.

tainha-instituicao-mane-barco-chegando2
Há quem olhe, há quem pesque de tarrafa na praia e há quem sai para o mar em busca dos cardumes.

Há também os barcos que não se limitam à areia, atravessam a arrebentação e vão para mais perto das correntes aguardar o cardume e capturá-los antes da chegada na praia. O jornalista e escritor florianopolitano Amaro Seixas Netto disse em 1971: ” Mas as festas da pesca da tainha está por terminar. Os barcos de alto mar pescam as mantas antes que cheguem às redes dos tradicionais, valorosos e históricos pescadores ilhéus. É o progresso, sem dúvida, mas é pena.”* Não poderia estar mais errado, o nobre jornalista, que na década de setenta já tinha medo que este peixe sumisse do prato dos manezinhos. Felizmente, não poderia estar mais errado.

Mesmo os barcos que saem da praia e pescam num mar um pouco mais rebelde têm sua consciência social. O quinhão do santo, que antigamente era dado a São Pedro, padroeiro dos pescadores, para que ele os protegesse no mar, hoje é dado aos moradores e turistas que aguardam a chegada dos barcos nos portos.

Barco Pesca Brasil descarregando as tainhas na Barra da Lagoa
Barco Pesca Brasil descarregando as tainhas na Barra da Lagoa

No último sábado, 31 de maio, 16 dias apenas após a abertura da temporada da pesca da tainha, acompanhei a chegada do barco Pesca Brasil na praia da Barra da Lagoa. O barco veio carregado com cerca de 3.800 peixes, nada menos que 6 toneladas de tainha fresca desembarcando. Após o peixe ser alojado em caixas que iam para um caminhão frigorífico estacionado em frente ao trapiche, alguns peixes que iam sendo separados para doação foram entregues a quem pudesse buscá-lo com os pescadores. Alguns deles, que também têm a sua parte na pesca, seja para consumo ou para negócio, vendiam aos “bisbilhoteiros” de plantão algumas unidades.

6 toneladas de Tainha
6 toneladas de Tainha indo para o mercado

Tainhas gordas, ovadas, frescas. Um convite para uma saborosa refeição neste inverno.

Nos posts seguintes vamos te ajudar a conhecer melhor a Tainha, os seus preparos, as suas receitas, quais são os melhores restaurantes que indicamos para degustá-la de formas tradicionais ou inusitadas. Aqui começa a série Tainha, instituição mané, que tem a ajuda da incansável companheira e jornalista Aline Gunsett e é dedicada à memória dos meus antepassados, que do mar tiravam o seu sustento e fizeram escola.

* A célebre frase do jornalista catarinense tem como fonte o blog Tainha na Rede, que traz um material muito bacana sobre a pesca da tainha.

Sabor da Costa: passeio de barco, excelente vista e comida boa

Conhecer a Costa da Lagoa é uma experiência incrível. Senti-me como um turista da minha própria cidade, explorando um lugar desconhecido, muito distante, mas que fica a menos de 30 minutos da minha casa. A Costa da Lagoa é uma região onde o visitante só pode chegar por barco: seja saindo da Ponte da Lagoa da Conceição, seja partindo da Estr. Geral de São João do Rio Vermelho, o caminho mais curto entre um ponto e outro.

sabor-da-costa-barcos

O sol e o calor que fizeram no último sábado foram praticamente um convite da natureza a conhecer a gastronomia daquela região, onde os frutos do mar não poderiam deixar de ser as grandes vedetes. Nem mesmo o vento que batia de través fazia os rústicos barcos, denúncia de um sistema de transporte marítimo ainda precário na Ilha de Santa Catarina, largarem seus destinos.

sabor-da-costa-vista

Dos tantos restaurantes que habitam naquele lugar, fui até o Sabor da Costa. Excelente escolha e sugestão da Aline que sabe onde comer bem. O Jajá, proprietário e assador do restaurante, nos recebeu com uma cachaça das buenas, quase que num ritual de batismo, dos que estréiam com um trago largo pra tirar a poeira da goela.

sabor-da-costa-copinho

Dica: se você pedir, o Jajá autografa e te dá o copo de barro de recordação.

sabor-da-costa-jaja

Por falar em Jajá, não só ele mas todo mundo que atende no Sabor da Costa é bem humorado e faz questão de manter o astral do ambiente pra cima. Entre brincadeiras, piadas e causos, um show à parte da gastronomia é feito ao vivo e sem cobrança de couvert artístico.

sabor-da-costa-pastel

Boa mesmo era a comida. Entramos com estes pastéis de Siri. Não preciso dizer que é frito, né? Pastel assado é coisa de quem vai na churrascaria pra comer salada. O recheio muito bem temperado e molhadinho de um siri refogado com ervas e tomate.

sabor-da-costa-ovas-defumadas

O Jajá havia comentado sobre o seu “Caviar”, e antes de pedir o prato principal pedi um segundo petisco: Ovas de tainha defumadas. Este prato consiste num par de ovas de tainha defumadas e assadas na brasa, servidas com limão cravo e, pasmem, melado de cana orgânica.

Resgatei a minha infância, é coisa de manezinho colocar melado na comida salgada. E que combinação. Não precisei de muito esforço pra comer o prato inteiro que, como entrada, serve bem três pessoas.

sabor-da-costa-badejo

Para o prato principal, escolhemos o Badejo grelhado. Havia a opção da anchova, mas anchova é coisa de turista. Bom é o badejo, peixe carnudo e saboroso, vizinho da garoupa que vive entocado nas pedras.

Assim como as ovas, foram assados na hora, na nossa frente; pudemos sentir o cheiro daquele peixe assando e atiçando, ainda que com o estômago já bem forrado com as entradas, o paladar que insistia em verter muita saliva.

Acompanha o Badejo grelhado uma porção de arroz branco, pirão de caldo de peixe e batatas fritas. Tudo muito saboroso e cumprimento bem o seu papel.

sabor-da-costa-vista2

Além de boa comida e atendimento impecável, dizer que a vista do restaurante é bonita é sacanagem. Nem mesmo o mal humor do dia a dia passa incólume a um restaurante sobre um deck à beira-mar e um dia lindo de sol.

A conta fechou em R$195 para três pessoas, que comeram muito bem e beberam bastante.

Resta o convite: o verão tá chegando, já não faz tanto frio por aqui. Visitar a Costa da Lagoa torna-se obrigação turística. Escolher o Jajá pra te servir o almoço é uma decisão mais que acertada!

Sabor da Costa

  • Endereço: Rua Geral da Costa da Lagoa, s/n. Costa da Lagoa. Florianópolis.
  • Horário: diariamente para o almoço, exceto em caso de mal tempo que impeça as embarcações de chegarem.
  • Telefone: (48) 3335-3070
  • Aceita cartões: sim

TOP 5 – Onde comer frutos do mar em Floripa

O verão está chegando e certamente você vai visitar alguma praia, ou então como já é típico, será cicerone do seu aimgo que vem de fora e ele vai querer comer um camarão ou um peixinho na praia. Como sempre digo nos posts em que falo de frutos do mar, vir à Florianópolis e não comer um bom prato de camarão ou peixe é como ir na Bahia e não comer acarajé ou ir na Alemanha e não beber uma cerveja.

Mas eu quero levar minha família pra comer um camarão, Becher, ou então quero levar aquele meu amigo de São Paulo que tá na Ilha pra comer uma Lula e não sei onde levar. O que faço?

Calma, pequeno gafanhoto. Te dou 5 sugestões com comida de todos os tipos e preços para todos os bolsos pra você, sua família ou seu amigo passarem vontade de comer frutos do mar em Floripa.

Restaurante Tamarutaca

Bolinho de Siri, restaurante Tamarutaca
Bolinho de Siri, restaurante Tamarutaca

É o review mais recente do blog mas também é o que considero mais saboroso. Desde o ambiente bem montado e decorado, o que confere uma estadia bastante aconchegante até no feitio dos petiscos e pratos típicos de Floripa, o Tamarutaca vai impressionar com certeza. Destaque para os bolinhos de siri que são uma maravilha, de comer de joelhos e agradecendo a Deus, e também para o Camarão ao Catupiry, um preparado com camarões, molho sugo, molho branco com catupiry e bastante sabor.

  • Endereço: Rua Laurindo José de Souza, 663. Fortaleza da Barra, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3232-4035
  • Horário: de segunda a sábado, 11h30 às 15h e das 18h a 0h. Domingos das 11h às 20h.
  • Estacionamento: sim
  • Aceita cartões: sim

Restaurante Pitangueiras

Pastelzinho de berbigão, Restaurante Pitangueiras
Pastelzinho de berbigão, Restaurante Pitangueiras

Localizado num lugar muito bonito, além de comida boa oferece um visual dos deuses. Tem um ambiente simples e bem estilo manezinho da Ilha, além de um deck construído em cima da belíssima praia do Sambaqui. Além de comer boa comida e beber boa cerveja você pode aproveitar o caminho dos Açores e mostrar para o seu convidado ou mesmo aproveitar com sua família este lindo pedaço da ilha. Destaque para Linguado Gratinado com Alho Poró e Funghi Porcini, prato que serve bem 4 pessoas.

  • Endereço: Rod. Rafael da Rocha Pires, 2861. Sambaqui, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3335-0398
  • Horário: de quartas-feiras às segundas-feiras, das 11:30h às 0h.
  • Estacionamento: sim
  • Aceita cartões: sim
  • Wifi: sim

Barracuda Restaurante & Grill

Sequência de camarões, Barracuda Grill
Sequência de camarões, Barracuda Grill

Esse é para aqueles mais exigentes, que gostam além de uma boa comida um requinte todo especial no ambiente, atendimento e até mesmo na decoração dos pratos. Têm área para crianças com monitora para deixar o seu pequeno se entretendo enquanto você degusta a completa carta de cervejas especiais e importadas e o completíssimo menu de frutos do mar e grelhados, para os que não gostam. Uma sugestão é a Sequência Lagoa da Conceição, pra quem gosta de experimentar vários preparados de camarão. Fica na rota gastronômica da Lagoa da Conceição, na Av. das Rendeiras, e a região ainda serve como um bom passeio turístico.

  • Endereço: Av. das Rendeiras, 1562. Lagoa da Conceição, Florianópolis
  • Telefone: (48) 3232-5301. Aceita reservas.
  • Estacionamento: sim
  • Wifi: não
  • Aceita cartões: sim

Freguesia Bar e Restaurante

Ostras ao bafo, Freguesia Bar e Restaurante
Ostras ao bafo, Freguesia Bar e Restaurante

O Freguesia é pra quem quer almoçar, jantar ou mesmo curtir um happy hour com os amigos. Fica em Santo Antônio de Lisboa, outra região de Florianópolis digna de uma foto ao pôr-do-sol.  Seja um peixinho grelhado ou uma boa ostra ao bafo, cultivada aqui mesmo em Florianópolis e pelos proprietários, ou até mesmo uma massa pra quem quer dar uma variada, o Freguesia é um excelente local para se almoçar também com os colegas de trabalho.

  • Endereço: Praça XV de Novembro, 179. Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3235 1098
  • Horário: De quarta a segunda, das 11h às 23h30.
  • Aceita cartões: sim

Lagoa Restaurante

Anchova grelhada, Lagoa Restaurante
Anchova grelhada, Lagoa Restaurante

E por último, porém não menos importante, temos o Lagoa Restaurante. Localizado no final da Av. das Rendeiras, já na direção de quem vai para a praia da Joaquina ou Mole, o Lagoa tem um cardápio bastante variado de frutos do mar. É um restaurante mais simples, com pouca decoração, mais estilo de quem está saindo da praia e quer comer um bom peixe e camarões. E apesar de ser mais barato, uma opção mais em conta para quem vai pra praia com o dinheiro contado, não perde nada em sabor. Todos os pratos são bem gostosos e bem preparados, com acompanhamentos como arroz, salada e batatas-fritas.

  • Endereço: Av. Prefeito Acácio Garibaldi S Thiago, 141. Lagoa da Conceição, Florianópolis.
  • Estacionamento: sim
  • Aceita cartões: sim

Espero que tenha gostado das sugestões, caso tenha alguma use os comentários! 😉