Arquivo da tag: talharim

Du Gandolfo: lindo, saboroso e honesto

E São José continua me surpreendendo. No último fim de semana abri espaço na rígida dieta que venho enfrentando (é, parece que não dá pra ser blogueiro de gastronomia gordo por muito tempo) e fui finalmente conhecer o Restaurante Du Gandolfo, que para meu espanto existe há pelo menos 18 anos (não na mesma região e no mesmo formato, mas com nomes parecidos e próximo dali), e hoje senta suas garras no charmoso Centro Histórico de São José.

du-gandolfo-entrada

O Du Gandolfo faz uma viagem nas gastronomias portuguesa e italiana, que as vezes até se encontram como no “caneloni de bacalhau”, que não experimentamos mas certamente terá sua vez nas próximas idas a este restaurante que muito me emocionou.

Me emocionou não só na comida. Mas na comida, principalmente, e no espaço muito bonito e bem decorado. É uma casa portuguesa, com certeza. Há vários pequenos espaços com mesas confortáveis e decoração que agrada aos olhos não importa onde você os direcione.

du-gandolfo-ambiente

Outra característica que me chamou bastante a atenção é que todos os pratos servem duas pessoas, então é um convite para uma noite romântica que aproveite o ambiente calmo e aconchegante, ou encontro de casais ou ainda amigos, que possam desfrutar das mesmas iguarias e terem resultados diferentes para a mesma experiência.

Mas vamos parar de encher linguiça, vamos falar de coisa boa. E não, não é Tekpix.

du-gandolfo-cesta-paes

Abrimos a refeição com uma entrada. De salada eu já estava até o gogó, então pedi pão. Cesta de pães com Manteiga, Pasta de Beringela, picles de Abobrinha. Não estava no cardápio mas também recebemos neste “kit” de antepastos uns deliciosos pimentões em azeite.

Não dá pra descrever a delícia que é este pão. Não são eles que fazem, mas são feitos sob medida pra eles. Pão do jeito que todo mundo gosta: crocante por fora, bastante macio e saboroso por dentro e quentinho, saído do forno. Não fossem tão gostosos quanto os acompanhamentos desta entrada, seria uma heresia não comê-lo sozinho.

du-gandolfo-jarra-suco

Outra coisa importante que precisa ser bastante destacada: as bebidas. Você não vai morrer pagando uma prestação do cartão de crédito se pedir um vinho da carta ou uma jarra de suco de laranja. Esta bebida tão cara nos demais lugares, ganha aqui sua versão em jarra, totalmente natural feito com a fruta, 700ml por menos de 9 reais. O que parece até uma idiotice dizendo assim, é um grande feito se compararmos restaurantes do mesmo nível por aí.

du-gandolfo-cataplana-mignon

Eu fui na culinária portuguesa. Queria experimentar esta Cataplana com medalhões de Filé Mignon, molho vermelho com creme de leite, cogumelos e batatas. O prato é acompanhado de arroz, mas já seria suficiente degustar esta cataplana pura, assim como o pão da entrada. Aliás, este delicioso molho vermelho com creme de leite poderia ser muito bem “xuxado” por aquele pãozinho da entrada. Um #fikdik pra casa!

du-gandolfo-mignon-quatro-formagio

O Everton e a Samantha, que faziam costado nesta refeição, foram pro lado italiano do Du Gandolfo. Eles pediram e degustaram (e eu provei um quinhão) do Filé a Quatro Formagio. Mais Filé Mignon, molho de quatro queijos, batatas e que veio acompanhado de um delicioso talharim na manteiga.

du-gandolfo-talharim-manteiga

Mais uma vantagem da casa: não importa se é prato principal ou acompanhamento, a qualidade sempre será excelente. Mesmo um simples arroz, mesmo este talharim na manteiga que me causa enxurradas de saliva até agora, são feitos sob o mais absoluto cuidado e sabor.

du-gandolfo-petit-gateau

Eles ainda pediram sobremesa, que não experimentei mas registrei: Petit Gateau. Se era bom, perguntem pra eles.

Não precisa dizer que recomendo uma visita nesta casa. Um dos poucos lugares onde come-se muito, muito bem e pode-se pagar menos que 100 mangos por casal. A conta fechou por volta dos 90, que a esta altura do campeonato já era quase de graça.

Restaurante Du Gandolfo

  • Endereço: Rua Homero de Miranda Gomes, 3382. Centro, São José/SC
  • Telefone: (48) 3247-4334
  • Estacionamento: sim
  • Aceita cartões: sim

Receita de Maminha na pressão

No meio do freezer tinha uma peça de maminha. Tinha uma peça de maminha no meio do freezer. Esse fatídico corte proveniente da alcatra estava dando sopa na geladeira após um churrasco mal planejado e como nem tinha ido pro tempero e meu querido açougueiro havia embalado à vácuo pra mim, acabou ficando pra depois. E ontem foi o dia de usá-la, finalmente. É uma maminha de alcatra da raça angus, com uma gordura marmorizada bastante interessante e que conferiu muito sabor a carne.

Maminha na pressão e talharim
Maminha na pressão e talharim

A peça era muito linda e de primeiro momento parece desperdício colocá-la numa panela de pressão, mas carne assada todo dia também enjoa. A vantagem da panela de pressão é que, ao contrário do cozimento normal ela termina a cocção mais rapidamente sem perder tanto sabor. Vamos fazer a maminha na pressão?

Ingredientes

  • Uma maminha de aproximadamente 1,3kg
  • 400g de bacon
  • 1 cebola grande
  • 2 tomates grandes
  • 6 dentes de alho
  • 2 tabletes de caldo de carne, costela ou picanha
  • 300ml de água
  • Bouquet garni com as ervas de sua preferência (usei manjericão e alecrim)
  • 3 colheres de óleo de girassol
  • Sal e pimenta à gosto

O bouquet garni é o conjunto de ervas aromáticas que você utiliza para temperar um prato, dispostos em forma de bouquet (portanto são utilizadas ervas frescas) e amarradas com um elástico ou barbante.

Como fazer Maminha na Pressão

Antes de mais nada, corte a peça de maminha em grandes cubos, como melhor lhe aprouver. Quanto maiores ficarem os cubos um tempo de cozimento maior demandará. Depois disso tempere-os com sal e pimenta de acordo com o seu gosto, lembrando que teremos bacon que por si só já traz sal para a comida.

Com a panela de pressão quente coloque o óleo de girassol e frite os pedaços de carne. Enquanto elas começam a dar sinal de ficarem douradas, entre com o bacon cortado e pedaços grandes para que faça o mesmo. Depois junte a cebola cortada em cubos e os dentes de alho levemente amassados com a faca.

Dourando a carne
Dourando a carne

Quando estiverem bem refogados, polvilhe o tablete de caldo de carne, entre com o tomate e coloque um copo de 300ml de água. Coloque o bouquet garni no centro da panela de pressão e tampe. Evite colocar muita água para que o molho não fique muito ralo. O tomate, a cebola e a própria carne vão se responsabilizar na hora do cozimento pela quantidade de molho.

Quando a panela de pressão começar a chiar então você começa a contar 40 minutos até que fique pronto.

Eu servi a carne com talharim e utilizei o próprio molho da carne. Um queijo parmesão ralado na hora por cima dá um toque bastante interessante.