Arquivo da tag: vinho

10 lugares para jantar no Dia dos Namorados em Floripa

dia-dos-namorados-comideria

Este post atende a pedidos. Nós não costumamos fazer posts para datas especiais mas como não atender as solicitações dos nossos queridos leitores, se são eles quem nos incentivam a cada dia mais continuar visitando e escrevendo sobre os restaurantes neste mundão velho de meu Deus?

Neste post faço uma compilação dos restaurantes que conheço, fiz review aqui no Comideria e acho que seriam ótimas pedidas para passar a noite junto do seu amor. Ao escolher, é recomendável que você ligue para o restaurante e faça uma reserva.  O telefone está no rodapé de cada post indicado, basta clicar no link do nome do restaurante.

Peña del Sur

Começo pelo que visitei mais recentemente. Peña del Sur é uma charmosa e aconchegante parrillaria localizada numa rota que por si só já é bastante romântica, a de Santo Antônio de Lisboa. Logo na chegada a casa no estilo rústico atende a todos que chegam da melhor maneira possível: boa música, excelente atendimento e a comida, se você ler o review, nem preciso dizer o quão saborosa é.

Spice Garden

Spice Garden encanta já na entrada. É um lugar muito bonito às margens da SC-401, com um ambiente muito aconchegante e a decoração de encantar os olhos. Os olhos a comida também encanta, e o paladar agraciado pelas especiarias que a culinária indiana oferece é o ponto forte da casa. Mas não se preocupe: se o seu amor não gosta de comida apimentada, é possível pedir o grau menor de picância em qualquer um dos pratos! Não tem motivo pra não degustar uma gastronomia diferente no Dia dos Namorados!

Recanto dos Açores

Ah, você quer frutos do mar? Não tem problema. O Chef Nivaldo serve no Recanto dos Açores peixes e outros frutos do mar que ele mesmo pesca e prepara. A comida lá é a mais fresca e saborosa possível, tamanho o cuidado na obtenção de matéria prima da casa. Seja um menu degustação ou um prato aleatório do cardápio é uma boa pedida para uma noite romântica.

May

Uma outra cozinha exótica e com um ambiente muito romântico, também no Caminho dos Açores, é o May. É dos mesmos proprietários da cupcakeria Fairyland (preciso dizer mais alguma coisa?). O ambiente requintado, atendimento de primeiríssima qualidade e comida que não deixa desejar para uma viagem ao sudeste asiático aliam-se ao cenário mais encantador da Ilha da Magia, na minha humilde opinião, com um mar lindo e inspirador como vista.

Pizzeria Milano

Que tal uma pizza? Na Pizzeria Milano, considerada uma das melhores da cidade pelo jeito italiano de se fazer esta iguaria, está localizada na Bocaiúva e tem uma excelente carta de vinhos para acompanhar suas saborosas pizzas. Tem até pizza doce feita com Nutella de verdade pra sobremesa dos pombinhos!

Cantina Sangiovese

Mais uma sugestão de massas: Cantina Sangiovese. Não é a toa que muitos florianopolitanos escolhem este lugar para celebrarem seu enlace matrimonial. Aliás. não quero dizer nada nem ser responsável pelo futuro de vocês, mas se este restaurante com um jardim lindo, um ambiente interno muito aconchegante e bonito, com cardápio sofisticadíssimo e a melhor carta de vinhos de Santa Catarina eleita pela revista Veja por anos consecutivos não for um convite a um pedido seguido de um grande “sim”, eu não sei qual será!

Risotteria Suprema

Quer italiano mas prefere um risotto? Ok, vamos lá. O Chef Jordan Franzen manda muito bem nos risottos da Risotteria Suprema. Além de um ambiente gostoso pra se passar bons momentos com seu amor, um bar incrível na entrada da casa já convida pra um drink que abrirá o apetite do casal ao saborear um bom prato italiano! Também tem uma excelente carta de vinhos e preços bastantes interessantes.

Bistrô D’Acampora

Com uma cozinha contemporânea que ao mesmo tempo é simples, saborosa e sofisticada temos o Bistrô D’acampora. Este dispensa comentários, é o cartão de visitas da cidade quando o assunto é alta gastronomia. O Mestre Betinho (eu acho que ele subiu o grau de chef faz tempo e eu não quis apelar para “Don”) comanda tudo na sua casa dos sonhos. É impossível não andar pelos “cômodos” do restaurante sem se apaixonar e querer passar ali o restante da sua vida. Isso mesmo, cômodos, o Bistrô não tem ambientes. Você vai se sentir em casa e, visitando, verá que não estou destilando nenhum clichê. Aproveite e traga com seu amor o Prato da Boa Lembrança pra casa!

Jun Temakeria

Achou que eu ia deixar de elencar um sushi, não é mesmo? Sushi é o novo sinônimo de sair a dois, o que antes era garantido apenas pelos bistrôs e cantinas. Sushi é contemporâneo, saboroso, light, dinâmico… a Jun Temakeria é um ambiente mais informal mas mesmo assim um ótimo lugar pra passar a noite do dia 12 com quem você gosta.

Bistrô Santa Marta

Encerra esta minha lista com 10 indicações de lugares para levar seu amor para jantar no dia dos namorados um perfeito lugar para o 12 de junho. Até porque a simpática e querida Lagoa da Conceição não poderia ficar de fora. O Polvo da Magia é um excelente prato pra este dia e só o Santa Marta consegue fazê-lo com perfeição. O ambiente também é aconchegante e os vinhos acompanham a qualidade da comida.

Espero que tenham gostado e, reitero: façam suas reservas pra ninguém ficar sem mesa no dia dos namorados em Floripa!

Sunset Monte Agudo: degustando vinhos e amizades ao por do sol

Dizem que o vinho é um dos instrumentos sociais mais potentes que existem. Não saberia filosofar em cima disso, além de um bebedor muito esporádico, conheço pouco das Viti viniferas e de seus preparos. Não sei analisar a diferença entre eles e me limito a diferenciá-los por “rótulo bacana” e “rótulo mais ou menos”, embora acreditar numa estampa, do que quer que seja, seja um pecado que nem Baco perdoe com qualquer penitência.

monte-agudo-externa

Mas eu creio no poder das amizades. Os amigos, aqueles que fazemos questão de partilhar os louros e os fracassos, esses cultivamos dentro de uma garrafa de qualquer cor e rótulo, como um Cabernet Sauvignon dos bons que alcançam seu auge com o passar do tempo.

monte-agudo-cabernet-sauvignon

No último fim de semana estava de cruzada pela Serra catarinense e recebi um convite pra ir conhecer os vinhedos da Monte Agudo. A proposta era um fim de tarde regado a vinhos, pães, frios e um pôr do sol daqueles que estampam um pañuelo maragato no horizonte, o famoso Sunset da Monte Agudo.

monte-agudo-ambiente

No comando estavam o seu Leônidas, proprietário da Monte Agudo, e uma de suas duas filhas, que fazem um belíssimo trabalho com o produto de suas parreiras, a Carol Ferraz, que é sommelier, e quem conduziu a degustação toda.

A casa é linda, como as fotos hão de provar e não me deixarão mentir. Localizada bem no pico da propriedade do seu Leônidas, tem uma belíssima vista de todos os lados para a região do Morro Agudo onde fica não só a Monte Agudo, mas grande parte das vinícolas que produzem os melhores vinhos de altitude aqui na serra catarinense.

monte-agudo-taças

O sol ia morrendo atrás dos morros e um belíssimo show em paralelo fazia. Na mesa, um outro show começava: a degustação dos vinhos da empresa. Começamos com o que eu já havia conhecido através da Luciane Daux, o espumante Brut Rosé Sinfonia; experimentamos o Chardonnay 2010, um branco muito saboroso; os gigantes tintos do corte Cabernet Sauvignon e Merlot 2009, 2010 e 2011 (esse último ainda nem rotulado está, pois está em processo de maturação na garrafa, e você só pode prová-lo por enquanto no Sunset, e até comprá-lo para beber em casa); até um Chardonnay da última safra que recém foi processado o Sr. Leônidas abriu uma exceção e mostrou pra gente para conhecermos um pouco do processo de maturação dos brancos.

monte-agudo-vinhos

Estaria mentindo se eu tentasse reproduzir a análise dos mais entendidos que estavam presentes à mesa, e estaria no mínimo sendo desonesto se apenas reproduzisse o que a nobre sommelier falava sobre sua descrição dos vinhos, visto que isso é algo pessoal e muito subjetivo. Mas a expectativa que eu já tinha o Espumante Sinfonia confirmou-se nos demais rótulos, tanto que trouxemos alguns rótulos para bebermos em casa, juntamente com essas duas lindas taças personalizadas da Monte Agudo e que inauguram a adega da minha casa nova.

monte-agudo-vinhos2

O Sunset da Monte Agudo é, sobretudo, um local para se degustar bons papos e bons amigos. Pois vinho vai além de todo o jargão técnico e os “blá-blá-blás” daqueles que enfiam o nariz dentro da taça e vomitam descrições rocambolescas.

Os vinhos da Monte Agudo são excelentes porque são democráticos: vencedores de prêmios para entusiasmar os especialistas, e fazedores de amizades pra quem ainda engatinha na arte de engarrafar experiências.

Se estiver de viagem programada para a Serra, não deixe de colocá-los no seu roteiro!

Vinhedos da Monte Agudo

  • Rod. SC 438, KM65. São Joaquim/SC
  • Funciona diariamente com reservas, sunset às 17h.
  • Fone: (49) 9985-1446
  • Aceita cartões: sim
  • Estacionamento: sim

Conhecendo o Siri Mole na Cantina Sangiovese

Jorge Amado nasceu em Itabuna, na Bahia, mas aos 2 anos de idade mudou-se com a família para Ilhéus. Dentre outras coisas que o litoral baiano lhe deu, um dos maiores escritores que este país já teve ganhou neste pedaço de paraíso o amor pelo mar. E que mar! Nada além disso explica o seu apreço pela culinária litorânea e pelo tempero daquela região. Apenas e tão somente apenas explica suas menções honrosas às iguarias como a Moqueca de Siri Mole, eternizada no romance Dona Flor e Seus Dois Maridos.

httpv://www.youtube.com/watch?v=HQ8Z7bYMgJY

Moqueca de siri mole: era o prato predileto de Vadinho. Lavem os siris inteiros em água de limão. Lavem bastante para lhes tirar o sujo sem lhes tirar, porém, o gosto de maresia. Um a um coloque os siris na frigideira, devagar porque este é um prato muito delicado. Tome de quatro tomates escolhidos, um pimentão e uma cebola em rodelas coloquem para dar um toque de beleza. E só quando tudo estiver cozido, e só então, junte o leite de coco e o azeite de dendê. Sirva bem quente.

Seus dentes mordiam o siri mole, seus lábios ficavam amarelos de dendê. Nunca mais seus lábios, sua língua. Nunca mais sua ardida boca de cebola crua.

Jorge Amado fazia poesia até em receitas. Não sei se cozinhava, mas a paixão ao descrever através da boca de Dona Flor como se preparava a moqueca de Siri Mole denunciava sua inata habilidade com o paladar.

cantina-sangiovese-entrada

Outro cara que faz poesia na cozinha é o Helton Costa. Você já deve ter ouvido falar nele. Ele tem habilidade com as palavras, pois nos recebeu de forma muito simpática e com boas histórias, inclusive esta que introduz o post, mas manda bem mesmo na execução. Na última semana estive na Cantina Sangiovese, restaurante comandado pelo chef, pra comemorar o aniversário da Michele, food hunter das buenas.

Assim como não conhecia a Sangiovese, também não conhecia o Siri Mole. O siri durante sua vida troca algumas vezes de casca. Nessa troca, perdendo sua casca, o crustáceo tem apenas uma fina membrana que o envolve, sendo assim inteiramente comestível. É uma iguaria ainda pouco utilizada aqui na região, mas que já começa a ganhar notoriedade após ter sua criação feita em cativeiro, facilitando a captura exatamente nesta fase da vida.

Fettuccine de Manjericão salteado com Tomates Frescos e Siri Mole
Fettuccine de Manjericão salteado com Tomates Frescos e Siri Mole

Eu, que nem faço poesia nem executo bem estes pratos, estava lá pra degustá-lo. E foi ele que eu pedi, na verdade um Fettuccine de Manjericão salteado com Tomates Frescos e Siri Mole. O prato é uma delícia. Achei que por se tratar de um restaurante mais sofitiscado receberia uma excelente comida e em pouca quantidade. Mas aí lembrei que estava num restaurante italiano, porcoziuna, quanta comida!

Pedi o prato pra uma pessoa e ainda assim não dei conta de comer tudo (há uma exclamação subentendida nesta frase, estamos falando de alguém com o estômago do tamanho de um bagageiro de um sedan).

Bruschetta de Salmão
Bruschetta de Salmão

OK, justiça seja feita, eu havia pedido uma entrada antes. Uma Bruschetta de Salmão muito, mas muito saborosa. Pão torrado como deve ser, salmão grelhado no ponto certo e tudo muito bem temperado e regado com um excelente azeite de oliva extra-virgem.

Ossobuco com polenta e queijo
Ossobuco com polenta e queijo

Aliás, justiça continue sendo feita, ainda experimentei os pratos dos amigos. A aniversariante, a quem aproveito cumprimentá-la mais uma vez pela data que, segundo ela, é comemorada uma semana antes e outra depois (então ainda dá tempo: Parabéns, Mi!), pediu um Ossobuco com Polenta e Queijo. Interessante como se consegue fazer pratos mais simples com tanto sabor.

Raviolone recheado com gorgonzola e pêra, regado na manteiga de amêndoas e rapas de limão siciliano
Raviolone recheado com gorgonzola e pêra, regado na manteiga de amêndoas e rapas de limão siciliano

Outro, ainda, foi o Raviolone recheado com Gorgonzola e Pêra regado com manteiga de amêndoas e raspas de Limão Siciliano. Dizer que este também estava uma delícia é redundante, os ingredientes falam por si só.

Vinho Quinta da Neve Sauvignon Blanc
Vinho Quinta da Neve Sauvignon Blanc

Toda essa comideria foi harmonizada com um vinho que gostei bastante, sugestão da Renata, o Quinta da Neve Sauvignon Blanc. Um legítimo terroir, produzido na serra. Aliás a Cantina Sangiovese também é referência pela sua carta de vinhos, com um enfoque bastante valoroso pelos vinhos da terra.

Sopa de morango com sorvete de baunilha
Sopa de morango com sorvete de baunilha

Como sobremesa, comemos a Sopa de Morangos com Sorvete de Baunilha. Uma sobremesa doce mas sem ser enjoada, morangos bem selecionados e transformados em um creme muito saboroso, acompanhado de uma bola de sorvete de baunilha e um galhinho de alecrim que dá um aroma bastante especial. Ele foi acompanhado de um vinho licoroso, o Moscadello di Montalcino, toscano sim senhor!

cantina-sangiovese-ambiente

Tentar descrever com palavras o ambiente da Sangiovese é muita ousadia de qualquer escritor, blogueiro, jornalista… talvez Jorge Amado conseguisse. Uma linda casa em Santo Antônio de Lisboa, muito aconchegante, limpa e arejada, com lareira pro inverno e tudo o mais. Decoração no estilo italiano mas sem o clichê das toalhas vermelhas e verdes quadriculadas, um pátio com gramado e iluminação que dão um toque todo especial ao restaurante. Só uma visita ao lugar pode realmente comprovar a expectativa gerada.

O atendimento é impecável. Desde o garçom até o sommelier, do pedido até a entrega dos pratos, que foi bastante rápida. nenhum problema ou mal entendido. Além disso, a gentileza impera desde a chegada no estacionamento.

O preço condiz com o que foi recebido, desde o ambiente até a comida, que sim, é só um detalhe neste caso. O jantar foi um oferecimento do Chef Helton Costa, mas uma refeição completa como descrita no post custa, em média, R$130 por pessoa. Ou seja, quase de graça, visto toda a produção envolvida no jantar.

Se Jorge Amado visitasse a Cantina Sangiovese, certamente escreveria sobre o restaurante. Porque não há ser humano com o mínimo de sensibilidade que não saia de lá encantado. Mesmo que não seja no litoral da Bahia.

Cantina Sangiovese

  • Endereço: Pe. Lourenço Rodrigues de Andrade, 496. Santo Antônio de Lisboa. Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3371-1200
  • Horário: De terça à sábado, das 19h às 00h30. Sábado e domingo das 12h às 16h30.
  • Estacionamento: sim
  • Aceita cartões: sim
  • Wifi: sim

Promoção: A melhor companhia para um bom vinho é…

Se você gosta de vinhos e tem vontade de guardar pra posteridade as memórias que aquela garrafa com o precioso líquido te trouxeram, essa promoção é pra você.

A Luciane Daux Gastronomia e o Comideria estão sorteando um álbum Meus Vinhos. Um produto bem bacana distribuido pela Axios, um álbum onde você pode colar o rótulo do vinho que você tomou e gostou, além de poder escrever na mesma página as suas impressões sobre ele.

promocao-album-meus-vinhos

E como faço para ganhar este álbum?

Basta você usar sua paixão pelos vinhos e sua criatividade respondendo aqui nos comentários deste post a frase “A melhor companhia para um bom vinho é…”

O autor da melhor frase, eleito pela Luciane e eu, ganha o álbum.

A promoção vai até dia 16 (sábado). Lembre-se de preencher o seu e-mail corretamente no formulário para que possamos entrar em contato caso seja sua a frase eleita.

Boa sorte!

UPDATE

A promoção está ENCERRADA! A ganhadora do Álbum de Vinhos é a Cátia Andressa. Ela será comunicada por e-mail e o presente será entregue pra esta sortuda! Obrigado a todos que participaram e parabéns pra dona Cátia! 🙂

A frase escolhida foi: “A melhor companhia para um bom vinho é a vida, desbravada e intensa, como a bebida. A melhor companhia para um bom vinho é a celebração desta vida, da música, dos afetos, da nossa história e do prazer.”

Bistrô Varanda: Amélia é que é chef de verdade

Dizem que o trocadilho é a mais baixa forma de humor. Baixa, é claro, no sentido de ser pobre, de fácil confecção e pronta na língua de quem quiser. Mas não deu pra fugir dele neste post, não com os fatos vindouros neste texto. Amélia, chef e proprietária do Bistrô Varanda, já deve ter ouvido muitas piadas com o seu nome por conta do samba composto por Mário Lago e Ataufo Alves. E de antemão peço desculpas pra ela abrindo aqui o compromisso de compensar o trocadilho infame com um post contemplativo à sua comida.

Contemplar, segundo o dicionário, é um verbo transitivo direto quer dizer “ver ou observar com admiração”. E é o que você, nobre leitor, vai poder fazer neste post pois aqui estou munido apenas de imagens e palavras, mas que fique claro nesta introdução — e já vou às vias de fato — que foi a palavra que me veio a todo momento quando estive no restaurante, e o fiz com todos os sentidos possíveis.

Bistrô Varanda
Bistrô Varanda

O Bistrô Varanda é um pequeno restaurante localizado no bairro Córrego Grande com grande foco na culinária portuguesa embora busque algumas referências em outras regiões européias. O bacalhau, seu carro-chefe, é servido de várias formas. Oferece também risotos e batatas suíças (rösti), além de algumas saladas e pratos a base de carnes.

Bonito, climatizado e aconchegante
Bonito, climatizado e aconchegante

O ambiente, como não poderia deixar de ser, faz referências à cultura portuguesa e tanto em objetos como mobília, propõe um jantar aconchegante e bastante tranquilo. Não é muito iluminado ofuscando o conforto e nem muito escuro dando sono. Completa o serviço um atendimento bastante atencioso e gentil, que trouxe todos os pratos corretamente, atendeu-nos de forma precisa e me deixou muito, muito satisfeito (ah, se todos os restaurantes fossem assim!).

Entrada: Pastel de camarão
Entrada: Pastel de camarão

Comecei escolhendo uma das entradas, um pequeno e saboroso pastel de camarão. Já que ia comê-lo no prato principal quis dar uma variada, embora o pastelzinho e bolinhos de bacalhau também parecessem muito apetitosos.

Salada de cenoura e alface com molho delicioso de alho
Salada de cenoura e alface com molho delicioso de alho

Antes do prato, recebemos uma saladinha de cenoura e alface com um molho à base de alho e cebola.

Bacalhau à Gomes de Sá
Bacalhau à Gomes de Sá

O prato, como posso descrever? Eu ia soltar um puta que pariu! aqui, mas lembrei que preciso manter a pose de bom moço pros meus leitores. Escolhi um Bacalhau à Gomes de Sá que não foi finalista das 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa por acaso. E apesar de não ter entrado neste seleto grupo, mais por mérito dos concorrentes do que falta de atributos necessários para ser considerado um grande prato, agrada bastante o paladar dos irmãos lusófonos. E o Bacalhau à Gomes de Sá da Amélia é uma delícia, vocês precisam experimentá-lo. Lascas de bacalhau, pedaços de batata e ovos cozidos, cebola, azeitonas pretas e salsa regados com azeite português de altíssima qualidade. Amélia não economiza no bacalhau.

Filé Mignon ao molho de Funghi Porcini acompanhado de uma batata rösti
Filé Mignon ao molho de Funghi Porcini acompanhado de uma batata rösti

Caso você não queira escolher um peixe, pode ir numa carne. Experimentei o Filé Mignon ao molho de Funghi Porcini que é acompanhado de uma batata suíça simples. Veio no ponto certo, com molho abundante e bastante interessante também. Macia e suculenta agrada bastante o paladar.

Todos os pratos são bem servidos. Apesar de serem porções individuais precisa pelear bastante pra conseguir terminá-lo, ainda mais se ele sofrer um banho de azeite, como o degustei. Quem me conhece pessoalmente sabe que eu não me entrego fácil. Mas tergiverso…

Pastel de nata e vinho do Porto de sobremesa
Pastel de nata e vinho do Porto de sobremesa

Pra fechar a refeição, como se ainda sobrasse espaço, mais por amor à camisa e pra compartilhar com vocês do que necessariamente apetite para continuar comendo, escolhi um pastelzinho de nata. Esse sim eleito uma das 7 maravilhas da culinária lusitana. A bem da verdade é o Pastel de Belém a verdadeira vedete do prêmio, mas este não deixa de ser uma de suas variações comercializadas abrilhantando as doçarias dos nossos antigos colonizadores. Um pequeno cálice de Vinho do Porto não poderia faltar também.

No fim das contas, cada um gastou cerca de R$85, contabilizando refrigerantes, água e vinho além de entrada e sobremesa. Valeu cada centavo e só de revisar o texto acima eu estou com água na boca novamente. E olha que escrevo esse post apenas uma hora de pagar a conta e voltar pra casa.

Eu prometi que só ia falar bem da comida e não mais fazer trocadilhos, mas não resisto: ao fim de tudo, só posso concluir “Ai, que saudades da Amélia!”

Bistrô Varanda

  • Endereço: Rua João Pio Duarte e Silva, 1197. Córrego Grande, Florianópolis.
  • Telefone: (48) 3025-2166
  • Horário: de terça à domingo para o almoço das 11h30 às 14h30 e de terça à sábado para o jantar a partir das 19h.
  • Aceita cartões: sim